Noticia Regional

Coluna do Gerson Nogueira: Um festival de erros

17/02/2017 01:04:37

Com um time desfigurado, o Remo não teve forças para superar o modesto Brusque e jogou pela janela o bilhete premiado que seria o jogo contra o Corinthians na 2ª fase da Copa do Brasil. Por baixo, calcula-se que a arrecadação poderia chegar a R$ 2 milhões diante dos paulistas.

O problema é que antes do Timão havia o Brusque e, ao que parece, muita gente no Evandro Almeida achou que a parada seria tranquila em solo catarinense. Não foi a garapa esperada – como não é nenhum jogo da atual fase da Copa do Brasil reformulada.

Ceará, Fortaleza, Botafogo-PB e vários outros clubes de tradição já ficaram pelo caminho, abatidos por equipes emergentes dentro de seus domínios. O novo regulamento é interessante por dar equilíbrio aos confrontos iniciais. O visitante joga pelo empate e a decisão sai nos 90 minutos.

O Remo entrou em vantagem, mas cedeu espaços para o brioso Brusque alcançar vitória. O primeiro gol foi um primor de desatenção. A bola foi cruzada da esquerda e encontrou um atacante livre no bico da área pela direita. Sem marcação, ele tocou para Jonatas chutar para as redes.

A eliminação se confirmaria no segundo tempo, a partir de uma série de erros cometidos. Com um time desgastado pela viagem e as quatro baixas – Elizeu, Flamel, Renan Silva e Jaquinha –, o esquema utilizado pelo técnico Josué Teixeira mostrou-se excessivamente cauteloso e vulnerável pela presença de Caio, que havia atuado mal no Re-Pa, pela esquerda.

Depois de sofrer o primeiro gol, Josué Teixeira finalmente percebeu que a lentidão e a falta de combatividade do ala comprometiam o setor esquerdo e colocou Jayme para ajudar na pressão ofensiva. Tsunami passou a ser o jogador da marcação pela esquerda.

Em função dessas mexidas, o Remo começou a atacar, coisa que não havia feito até então. Aos 33, Tsunami mandou um tiro forte no poste de Rodolfo. Na sequência, veio uma falta à entrada da área, que Zé Antonio bateu com perfeição, empatando o jogo. Um golaço.

O gol deu ao Remo a confiança necessária para seguir pressionando a atrapalhada zaga catarinense, mas o time sofria os efeitos do baixo rendimento do atacante Edgar, sem o ímpeto de outras jornadas, e de Léo Rosa, pouco participativo ao longo dos dois tempos.

Nos acréscimos do primeiro tempo, o árbitro assinalou um penal inexistente depois que a bola estourou contra o volante Tsunami, que tinha o braço preso ao corpo. O goleiro André Luís, que havia defendido penal no Re-Pa, pegou também a cobrança de Assis.

Esperava-se que o pênalti não convertido fizesse com que o Remo voltasse mais agressivo para a etapa final. Ledo engano. O time voltou lerdo, dispersivo e pouco preocupado em manter a posse de bola e com os atacantes ainda mais esquecidos lá na frente.

Para piorar as coisas, um forte baque tirou momentaneamente de combate o capitão Henrique. Um erro da comissão técnica, apressando a substituição do zagueiro – que iria se recuperar em seguida –, oportunizou a falha que deu ao Brusque o gol da vitória, após rápida jogada de linha de fundo arrematada por Ricardo Lobo.

Os 20 minutos finais até permitiram que o Remo chegasse ao empate, mas a incapacidade criativa do meio-de-campo e a pouca mobilidade de Edgar e Jaime frustraram as tentativas de reação. As exceções foram os garotos Lucas Vítor e Gabriel Lima, que se movimentaram bem, mostrando qualidades e tornando patentes as falhas na escalação inicial do time.

 

 

Leão amarga rotina de insucessos na Copa BR

 

Foi a quinta eliminação seguida do Remo na primeira fase da Copa do Brasil. Não é produto da sorte ou do acaso, é questão de organização e planejamento. O clube tem participado da competição como quem apenas cumpre tabela, sem maiores ambições.

Nas edições anteriores, enfrentou times gabaritados da Primeira Divisão – Internacional, Flamengo, Atlético-PR e Vasco –, mas desta vez tinha a oportunidade de seguir em frente, pois o adversário de ontem tem o mesmo nível de várias equipes do Campeonato Paraense.  

Para desdita do Leão, a boa chance foi desperdiçada pelas limitações do elenco e os muitos desfalques de última hora. Fica para a próxima. 






Av. Almirante Barroso,2190, 3° andar. Marco

© Copyright 2011-2014 | Rádio Clube do Pará - Todos os direitos reservados