Após sair do Mangueirão com um empate em 1 a 1 diante do Remo, o técnico Hélio dos Anjos falou à imprensa sobre o desempenho do seu time, que para ele poderia ter tido uma melhor sorte.

O treinador ponderou alguns pontos após o clássico Re-Pa deste domingo (8), pela sétima rodada do Campeonato Paraense, onde o resultado de igualdade deixa o Papão a uma vitória da classificação as semifinais.

“Nosso time não jogou o início do primeiro tempo. Não gostei da minha equipe e vi o Remo atacando, mesmo com o gol tomado. Infelizmente, no empate deles, a minha barreira estava malformada”.


“Tem que ter um posicionamento melhor e no segundo tempo tivemos chances para vencer, mas o resultado é bola na rede. Infelizmente, a vitória não veio. Poderíamos ter melhor sorte”, completou.

O treinador ainda destacou a presença de Nicolas em campo, o que no futuro pode render lucro ao Paysandu. “Nicolas está em ótima fase. Não vai fazer menos de 20 gols na temporada e num clube de Série C, o Paysandu que se cuide para conseguir um bom lucro porque todos querem um jogador como ele”.

Mesmo com a invencibilidade de nunca perder um clássico, o treinador ignora os números e destaca a grandeza do clássico. “Ninguém é maior que a rivalidade, o Paysandu e o Remo. Isso é maior do que todos. Tivemos grandes treinadores dos dois lados e me sinto feliz em estar aqui”.

Líder do Parazão com 16 pontos, o Paysandu volta a campo no domingo (8), contra o Castanhal, pelo Parazão.

 (DOL)