Se não bastasse a eliminação nas cobranças de pênaltis diante do CRB-AL, o Paysandu tem outro motivo para se revoltar contra o árbitro paranaense Paulo Roberto Alves Junior.

Na súmula da partida disputada na última quarta-feira (19), no estádio da Curuzu pela 2ª fase da Copa do Brasil, o árbitro citou que um copo foi atirado para o gramado do jogo na hora em que o volante Caíque Oliveira marcou o gol de empate do Papão.


Mesmo citado no documento, o árbitro destacou que o Paysandu agiu rápido e apresentou um boletim de ocorrência citando o torcedor que jogou objetos para o gramado.

Divulgação / CBF

 

Mesmo com o documento, o Paysandu corre o risco de ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o que pode causar advertência, multa ou até mesmo a perda de mando de campo do clube em jogos organizados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), segundo o artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

O Papão volta a campo no dia 29 de fevereiro, um sábado, contra o Bragantino pelo Parazão.