Para alguns jogadores do Paysandu a partida contra o Águia representa a possibilidade de abertura de uma espécie de “porta da esperança”. É o caso, por exemplo, do jovem atacante Aslenkevi, ou simplesmente Aslen, como é chamado por parte da imprensa. Jogador vindo da base do clube, o garoto de 18 anos, quer aproveitar a chance para mostrar um pouco mais do seu valor e, de repente, beliscar uma vaga no time principal bicolor.

“É uma boa oportunidade para todo mundo que não vem jogando como titular e pra mim, que tenho entrado nos jogos, é mais uma, agora começando a partida”, disse.

O jogador é grato ao técnico Marcelo Chamusca que o tem utilizado sempre que surge uma oportunidade no decorrer das partidas. “Fico satisfeito pela moral que ele tem me dado”, disse.Sobre o nome, segundo o atleta, foi coisa da mãe. “Ela vive inventando coisas e me colocou esse nome difícil, mas que eu gosto muito”, afirmou.


E MAIS…

CARAVANA BICOLOR

Depois de passar por Tucuruí, Macapá e Marabá, a Caravana Bicolor desembarca, na manhã deste sábado (8), na cidade de Santarém, onde o Paysandu disputa o jogo de ida da semifinal do Parazão 2017, contra o São Raimundo. A partida está marcada somente para a próxima terça-feira (11), no estádio Barbalhão, mas os eventos festivos organizados pela diretoria do Papão no município começam três dias antes. Neste sábado, o stand vai funcionar das 10h às 22h, no Shopping Paraíso.
REFORÇO?

Com a Série B do Brasileiro se avizinhando cada vez mais, o Paysandu trabalha a todo o vapor nos bastidores para a montagem de seu elenco com vistas à competição. Ontem surgiu a informação extra oficial, na Curuzu, de que o zagueiro Gualberto, que já atuou por duas temporadas pelo clube, estaria acertando seu retorno à Curuzu. A diretoria, como de praxe, não confirma as negociações com o jogador.

(Nildo Lima/Diário do Pará)