Brasil arranca empate na Argentina e segue em quinto lugar

A seleção brasileira arrancou um empate em 1 a 1 com a Argentina em Buenos Aires na noite dessa sexta-feira, 13. Com o resultado, o time de Dunga permanece em quinto lugar, com quatro pontos, posição que leva à repsescagem com o vencedor das Eliminatória da Oceania para a Copa do Mundo da Rússia 2018. Na próxima terça, 17, a equipe canarinho jogará contra o Peru, em Salvador. O duelo da quarta rodada começará às 22 horas (de Brasília). Os argentinos seguem fora da zona de classificação, com apenas dois pontos no oitavo lugar, e visitarão a Colômbia, sexta colocada (tem quatro), em Barranquilla igualmente na terça, mas às 18h30.

 

O superclássico das Américas foi adiado de quinta-feira, quando chuvas torrenciais transformaram o gramado do Estádio Monumental de Núñez num verdadeiro lago. O árbitro paraguaio Antonio Arias fez respeitar um minuto de silêncio antes do apito inicial, pelas vítimas dos atentados terroristas em Paris, na França.

 

Dunga optou por escalar Lucas Lima no lugar de Oscar no meio-campo e o centroavante Ricardo Oliveira no de Douglas Costa no ataque. Os donos da casa, sem o astro Lionel Messi, entre outros desfalques, partiu para cima logo no começo do confronto. No primeiro minuto, Lavezzi já disparou a bomba da ponta direita. Alisson espalmou para o lado, Higuaín não aproveitou o rebote e zaga canarinho afastou o perigo. Aos 5 minutos, de novo pela direita, Di María arriscou o chute cruzado e a bola passou a direita do goleiro brasileiro. Neymar recebeu entrada dura no centro do campo aos 9 e passou a mancar, preocupando a comissão técnica, mas seguiu no jogo.

 

O Brasil tinha dificuldades de se lançar ao ataque com jogadas bem elaborados, enquanto a Argentina gostava mais de explorar o lado direito do seu ataque, mas lhe faltava qualidade para finalizar com precisão. A defesa do time de Dunga se virava como podia para espantar o perigo de gol. Aos 25 foi a vez de Alisson preocupar na equipe brasileira, ao cair de mal jeito após dar um soco para cortar a bola cruzada. O arqueiro do Inter também seguiu no jogo.

 

A seleção brasileira conseguiu uma boa trama aos 29 minutos. Após troca de passes, Filipe Luís cruzou para o meio da área e Romero subiu bem para segurar firme. Pouco depois, aos 33, funcionou a jogadinha pela direita dos argerntinos. Lançado por Di María, Higuaín fez cruzamento rasteiro e Lavezzi apareceu livre na frente de Alisson para balançar a rede – Argentina 1 a 0. Em seguida, aos 36, Luiz Gustavo atropelou Otamendi no meio do campo e os dois trocaram empurrões. A turma do “deixa disso” e o árbitro desfizeram a confusão. O Brasil finalizou pela primeira vez somente aos 40 minutos, quando Willian lançou a bola na área em cobrança de falta da lateral direita e David Luiz cabeceou sobre a meta.

 

Como no primeiro tempo, os argentinos se lançaram ao ataque logo no começo do segundo período e Banega acertou a trave brasileira no primeiro minuto. Depois da trama sair da direita para a esquerda, o meia bateu em cima da zaga e na segunda chance mandou o chute rasteiro no poste, com Alisson perdido no lance. A seleção brasileira passou a procurar Neymar pela esquerda, mas o atacante estava sempre bem vigiado por até três marcadores. Porém, aos 8 minutos, ele achou espaço pela intermediária esquerda e arrisou o tiro no canto direito. A bola passou perdo do alvo, para fora.


 

O técnico Dunga optou para modificar o sistema tático do Brasil aos 12 minutos com a troca do centroavante Ricardo Oliveira pelo atacante de flanco Douglas Costa. Ele se posicionou pela esquerda, deixando Neymar mais livre para flutuar no campo de frente. No minuto seguido, Douglas aparou de cabeça o cruzamento de trivela de Willian e mandou a bola no travessão. Lucas Lima aproveitou o rebote e deixou tudo igual no placar – 1 a 1. O autor do gol tomou cartão amarelo pouco depois e logo Dunga logo o retirou do jogo para o ingresso de Renato Augusto.

 

Tata Martino também resolveu mexer na Argentina. Ele optou por povoar mais o miolo do campo e trocou o atacante Lavezzi, autor do primeiro gol do jogo, pelo meia Nico Gaitán. Mas a seleção brasileira se soltou ainda mais e a dribles e combinações de passes foi buscando a virada no placar. Willian chegou a abusar com um elástico em cima de Rojo e na batida para a meta a bola desviou na zaga e saiu pela linha de fundo aos 28. Em seguida, aos 31, um susto na defesa canarinho. Após cruzamento da esquerda, Filipe Luís escorou a bola contra o próprio patrimônio e Alisson segurou firme.

 

O time brasileiro voltou à carga com Neymar envolvendo os marcadores e chutando de canhota para boa intervenção de Romero, aos 33, e Douglas Costa em chuta também da esquerda que o goleiro argentino segurou sem dar rebote, aos 34. Martino fez mais duas alterações, ambas ao mesmo tempo: Banega por Lamela no meio-campo e Higuaín por Dybala no ataque.

 

Em nova jogada aérea, o zagueiro Otamendi apareceu como atacante e cabeceou com perigo à direita da meta defendida por Alisson aos 41 minutos. Na sequência, aos 42, em saída errada da seleção brasileira, David Luiz cometeu falta dura em Dybala e os argentinos pediram a sua expulsão. Antonio Arias deu cartão amarelo. No minuto seguinte, porém, em nova violação, o zagueiro do Brasil levou o vermelho direto e não jogará contra o Peru na terça-feira. Gil recompôs a zaga com a saída do meia Willian. A Argentina pressionou pela vitória nos instantes finais, sem sucesso.

 

 

 

Eliminatórias para a Copa do Mundo Rússia 2018

 

Argentina 1 X 1 Brasil

 

Data: Sexta-feira, 13 de novembro de 2015

 

Horário: 22 horas

 

Local: Monumental de Núñez, Buenos Aires, Argentina

 

Arbitragem: Antonio Arias (Paraguai)

 

Cartões amarelos: Otamendi, Roncaglia, Mascherano (Argentina); Filipe Luís, Lucas Lima, David Luiz (Brasil)

 

Cartão vermelho: David Luiz (Brasil)

 

Gols: Lavezzi, 33/1ºT(Argentina); Lucas Lima, 13/2ºT (Brasil)

 

 

 

ARGENTINA: Romero; Roncaglia, Otamendi, Funes Mori e Rojo; Mascherano, Biglia e Banega (Lamela); Di María, Higuaín (Dybala) e Lavezzi (Gaitán)

 

Técnico: Tata Martino