O Troféu Camisa 13, realizado pela RBATV, realizou ontem seu segundo Debate Bola com o tema Técnico de Futebol, debatendo com profissionais da área, acadêmicos, jornalistas, jogadores e ex-jogadores sobre a qualificação da profissão, a importância de ter sido atleta de futebol e os caminhos que a profissão estão tomando. Agnaldo de Jesus e Sinomar naves, ambos ex-jogadores e hoje treinadores, foram os debatedores. O jornalista Matheus Raimundo foi o mediador do bate papo realizado no auditório do laboratório Amaral Costa.

Seis vezes vencedor do TC13 como jogador, cinco pelo Remo e uma pelo Paysandu, o sergipano Agnaldo comandou o Leão Azul no título 100% de 2004 e ressaltou que sua carreira foi iniciada em estágios em clubes como Goiás-Go, Guarany-SP, Deportivo La Coruña-ESP, entre outros, e salientou a relevância de ter sido jogador, embora aponmte que a relação atleta de sucesso e técnico de sucesso nem sempre andem juntos.

“Nossos grandes técnicos não foram grandes jogadores como Felipão, Luxemburgo ou Tite. Até os mais jovens como Jair Ventura ou Fábio Carille tiveram pouco destaque. Mas a vivência que eles tiveram foi importante, ensinou muito a eles. É claro que não é uma regra, basta lembrar do Parreira”, disse o Seu Boneco.


O goiano Sinomar Naves acumula um título amazonense (2014) e dois paraenses (2010 e 2012) e difere um pouco dos ex-atletas por ter formação acadêmica. É formado em Educação Física e Administração Escolar e tem pós-graduação em Gestão Escolar. “É importante que o profissional do futebol esteja sempre procurando qualificar-se, seja através da academia ou dos cursos da CBF. O futebol é dinâmico e é preciso sempre se reciclar”, avalia.

Maior Premiação do Norte

O Troféu Camisa 13 premia os atletas, clubes e instituições que se destacam no cenário esportivo do Pará, nas modalidades do esporte amador ou olímpico e no Campeonato Paraense de Futebol.

(Tylon Maués/Diário do Pará)