O técnico Fábio Carille entrou num seleto grupo de treinadores na noite desta quarta-feira, após a vitória do Corinthians sobre o Fluminense, que assegurou o título do Campeonato Brasileiro do Parque São Jorge. Com o feito, confirmado pelo placar de 3 a 1, ele se juntou a outros três nomes históricos do futebol nacional que asseguraram a conquista do torneio logo em seu primeiro ano na profissão.

O primeiro a conseguir esse feito foi Carlos Alberto Torres, o Capita, histórico lateral direito da Seleção de 1970 que acabara de se aposentar dos campos em 1983. Contratado para assumir o comando do esquadrão do Flamengo, com Leandro, Adílio, Andrade e Zico, ele passou por cima do Santos na final, ganhando por 3 a 0 no Maracanã e coroando sua temporada de estreia no banco de reservas.

Outro nome da lista, por sinal, é justamente o nome que precedeu Carille no comando do Timão. Auxiliar de Vanderlei Luxemburgo no título brasileiro de 1998, Oswaldo de Oliveira ficou no cargo com o convite para que Luxa assumisse a Seleção Brasileira. Assim como Carille, mas com um time recheado de estrelas, ele levou o Estadual e fechou o ano com o título nacional, derrotando o Atlético-MG na série melhor de três jogos.


O último a celebrar o feito foi Andrade, o mesmo que ajudou Carlos Alberto Torres como jogador. Após assumir o Flamengo interinamente em algumas oportunidades, como fez Carille em 2010 e 2016 no Alvinegro, ele foi oficializado como comandante no meio do torneio de 2009. Na ocasião, liderou uma arrancada histórica do Rubro-Negro na busca pelo único título dos cariocas nos pontos corridos.

Alguns outros nomes estiveram perto do feito, mas não conseguiram finalizá-lo. É o caso de Émerson Leão, que liderou a campanha do Sport na Copa União de 1987, reconhecida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) como a do campeão daquele ano. Ele, no entanto, deixou o comando antes do quadrangular final, quando Jair Picerni assumiu os pernambucanos.

No Timão, um nome que chegou próximo ao feito foi Eduardo Amorim, alçado ao posto de treinador em 1995 após a saída de Mario Sérgio. Naquela ocasião, ele levou o título do Paulista e da Copa do Brasil, tornando-se praticamente um precursor de Carille.

Fonte: Gazeta Esportiva