LÁ E CÁ

Paysandu ganhou 48º estadual (atrás apenas do ABC 56 e Bahia 49), 100 anos depois do 1º, em 1920, quando emendou um tetra.

Time base de 1920 – João Moraes, Genaro e Aristides, Xavier, Brito e Suiço, Leôncio, Astrogildo, Guimarães, Mimi Sodré (depois Botafogo e Seleção Brasileira) e Artur Moraes.

Desde 1992 o Papão não era campeão ganhando os dois jogos decisivos do rival, como o Leão havia feito em 2018.

Desde que assumiram presidências de Paysandu e Remo, Ricardo Gluck Paul ainda não perdeu Re-Pa e Fábio Bentes não venceu. São 10 jogos, 6 vitórias bicolores e 4 empates.

Eis os campeões do Pará do início de cada década: União-1910, Paysandu-1920, 80, 2000, 10 e 20; Remo-1930, 40, 50, 60, 90; Tuna -1970.


Hélio dos Anjos invicto em Re-Pa, 7 vitórias e 3 empates (2 vitórias no Remo). Ganhou 2º estadual aqui. Invencibilidade bicolor frente aos azulinos alcançou 10 partidas.

Taça Estrela do Norte, ganha pelo Paysandu no Parazão, foi exposta ontem no Ver-o-Peso; Roma da Itália, a Loba, saudou o Lobo pelo título paraense.

Além de E. Ramos, Djalma fora dos jogos do Leão no Nordeste, pela Série C, quinta e domingo. Ficará baseado em Camaragibe-PE, utilizando CT do Retrô (fundado há 4 anos).

Campeonato Paraense encerrado sem problemas, o que nos faz reconhecer ações acertadas da FPF, especialmente do vice-presidente Paulo Romano.

No Paysandu, nome do atacante Cassiano (31 anos) volta a ser lembrado. Em 2018 marcou 20 gols em 30 jogos e ainda ganhou a Copa Verde.

No Remo comentário gira em torno de 4 contrações e 4 liberações.

Lateral Cicinho, ex-Remo, 1º jogador paraense a atuar numa Seleção Estrangeira, pela Bulgária (joga há 4 anos no Ludugorets), na derrota de 1×0 ao P. de Gales, na LNE.

Tiago Galhardo, ex-Remo e Cametá, agora no Inter-RS, o jogador do mês de agosto na Série A, eleito pela CBF.

Paysandu estará no Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

Judoca Rafael Ribeiro, o Destaque Amadorista do Troféu Camisa 13 – 2020. O atleta de MMA Deiveson Figueiredo, a Personalidade Esportiva.

Curiosidade: paraense Manoel Maria, que brilhou no São Raimundo de Santarém, Tuna, Santos, Seleção Olímpica e Paysandu, começou no extinto União Esportiva, aqui de Belém.

PITACO

Heróis distintos com seus gols decisivos nas finais do Parazão 2020, paranaense Netinho e sergipano Uchôa (foto) merecem todos os aplausos no Paysandu.