Em franco declínio de adesão, o projeto Sócio Bicolor, que chegou a ser uma das grandes fontes de arrecadação do clube, contando com cerca de 20 mil filiados, ganhará, nos próximos dias, uma injeção de revitalização. O objetivo do clube é retornar gradualmente aos números que teve na iniciativa ou até mesmo ultrapassar a marca recorde de associados, cuja queda é creditada, principalmente, a pandemia do Covid-19, que suspendeu os jogos do futebol brasileiro. Atualmente, de acordo com o site do Papão, o número de agregados do projeto, é de pouco mais de 3.5 mil, portanto bem diferente de seus áureos tempos.

Para tentar deslanchar a retomada dos associados do Sócio Bicolor, a diretoria do clube anunciou a contratação de Marcone Barbosa, formado em Gestão de Negócios e Jornalismo, cujo currículo registra passagens pelo Cruzeiro-MG e Fluminense-RJ. O novo homem de marketing do Papão, que sucede a Erick Almeida, já venha colocando a “mão na massa” para apresentar, em breve, novidades para o torcedor bicolor. Além da reengenharia no Sócio Bicolor, o novo funcionário bicolor deverá apresentar outros projetos de arrecadação para os cofres alviazuis, bastante debilitados.


No novo clube, Marcone espera obter o mesmo sucesso que teve em sua passagem pela Raposa Mineira. “Lá eu fui apontado como o melhor executivo de Marketing do futebol brasileiro, em 2017. E foi lá também que eu liderei uma campanha de combate à violência contra a mulher, que me rendeu um prêmio no Festival Internacional de Cannes. Eu encaro essa nova etapa profissional como um grande desafio de trabalhar e mostrar resultado em um mercado tão diferente do que eu já atuei até o momento”, recordou o marqueteiro em entrevista ao site bicolor.

A contratação de Marcone se deu justamente quando o futebol não só do Paysandu, mas brasileiro de uma forma geral enfrenta uma grave crise financeira, devido a proliferação da pandemia. “Isso aqui é um sinal claro de que o Paysandu tem buscado alternativa de receita”, declarou o presidente Ricardo Gluck Paul. “A gente está com projetos para que o clube possa, de forma sustentável e crível, ter soluções de receita”, completou. “Sete metas de curto prazo já foram estabelecidas para ele tocar durante essa crise”, detalhou o dirigente, citando apenas uma das medidas. “Tem uma empresa de São Paulo, que cuida do sócio torcedor do Palmeiras-SP, e a gente está desenvolvendo com eles um produto novo de sócio torcedor para esses próximos três meses”, anunciou.

(Diário do Pará)