Dourado conquistou o título com gol nos acréscimos e vitória nos penaltis.

O Cuiabá se torna bicampeão da Copa Verde em cima de mais um time paraense. O Dourado, que conquistou a sua primeira taça contra o Remo em 2015, garantiu o título, agora diante do Papão. Nesta quarta-feira (20), o técnico Marcelo Chamusca, que já dirigiu o Payandu, sentiu o gosto de vencer a Copa Verde no Mangueirão.

Vale lembrar que o treinador perdeu a competição em 2017 quando treinava o Papão. “Eu perdi a competição com o próprio Paysandu, agora vai dar um folego pro clube em parte orçamentaria”, desabafou Chamusca.


O vencedor vai direto para a 8ª fase da Copa do Brasil, o que é significa um adicional de R$ 3 milhões na conta do time.

O time de Hélio do Anjos precisava coroar o temporada com essa taça. Entrando em campo com um gol de vantagem, o time foi castigado no fim da partida com um “empate”. Aos 49 minutos do segundo tempo, Paulinho encobriu o goleiro Giovanni e deixou o placar, dos 180 minutos, empatado.

“A gente veio muito focado com o que iríamos fazer dentro de campo. Lutamos até o fim e conseguimos fazer o gol mágico”, analisou o paraense Alex Ruan, que faz parte da equipe do Dourado. Além dele, Tsunami que também nasceu no Pará, se tornou campeão hoje.

Nas penalidades, Caique e Nicolas não conseguiram converter. A cobrança de Caique foi muito questionada e considerada “esquisita” pelos torcedores do Papão, pois ele tomou uma longa distância e foi andando lentamente para bola até desperdiçar a chance do Paysandu conquistar o tricampeonato da Copa Verde..Pelo Cuiabá, o chute de Ednei foi defendido. “Não sei o que o Paysandu fez para sofrer desse jeito. Eu gostaria de entender isso ai. O que nós fizemos para não merecer? O ano poderia ser tão vitorioso, o Paysandu não merece passar por isso”, lamentou o bicolor Tiago Luis.