A festa do inédito e inesquecível título do Pinheirense, no Brasileiro Feminino da Série A2, não se encerrou na Curuzu. Segundo a treinadora Aline Costa, o clube foi convidado a dar um passeio no alto de um carro do corpo de Bombeiros em Icoaraci, distrito de Belém, no retorno da partida. “Foi até meio surpreendente. A gente não esperava mais festa, então um amigo nos convidou” comentou a treinadora em visita.

“Acho que ao todo devo ter dormido umas três horas, se muito. O telefone não parava de tocar, gente querendo conversar, pedindo entrevista, saber como as coisas estavam. Tem sido incrível” comenta a treinadora. Sem perspectiva de competições a disputar, Aline não sabe dizer ainda se seguirá no Pinheirense ou mesmo no Estado. “Vontade de ficar temos, mas vai depender de propostas. No momento estamos esperando pra ver o que acontece”, diz.

Aline diz que, caso se mude, leva 10 das 11 titulares com ela. “Só a Pingo que não sai, porque ela é funcionária do Pinheirense. Mas o resto é como uma família” comenta.

PREMIAÇÃO


A direção do General da Vila prometeu ao grupo de jogadoras uma premiação após o título. “Falamos pra elas no começo, não temos como pagar salários, mas o que entrar é delas. Recebemos a premiação e agora elas vão dividir” comentou o presidente do clube Paulo Edivaldo.

Somando as premiações da primeira fase, semifinal e título, o General da Vila teve direito a cerca de R$ 75 mil reais.

PLANEJAMENTO PARA 2018

Quando questionado sobre a disputa da elite, em 2018, o presidente do Pinheirense, Paulo Edivaldo, afirmouque a direção do clubeainda vai se reunir.

“Confesso que, nesse momento, não temos um plano para preparar o time para a Série A, mas vamos sentar e trabalhar nele daqui em diante. Porque não queremos ser um time que sobe e cai em seguida”, comentou.

O clube de Icoaraci deve buscar parceiros e investidores para se preparar para as disputas de 2018.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)