Apesar de duas reuniões formadas para a criação do protocolo de retorno do futebol paraense, o presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul questionou pontos fundamentais para que os clubes sejam amparados, na volta das competições.

Para o dirigente, os dirigentes se sentem frustrados pelo projeto não incluir a rotina de atividades e cita exemplos possíveis para a volta do futebol local.


“A frustração dos clubes é para um protocolo que serve apenas para partidas e nós não recebemos orientação alguma sobre treinos. Isso é um ponto, pois os testes rápidos não são confiáveis, ao ponto de ter uma margem de erro de mais de 50%”, pontuou.

Gluck Paul sugere que entre as medidas preventivas, os jogadores fiquem em isolamento em hotéis, para evitar contaminações. “No Alemão, os jogadores ficam em hotéis. Campeonato Paulista irá voltar com essas recomendações e sugiro que aqui se faça o mesmo, com os clubes sendo alojados em hotéis”.

“Caso não seja aceita a proposta, vamos aguardar mais um pouco, vamos esperar um teste rápido, pois o momento é mais de dúvida do que certeza”, finaliza.

A comissão já está recebendo sugestões dos clubes para formalização do documento, que será entregue ao governo do estado, no dia 16 de junho.