No Clube do Remo, hoje, diante do Salgueiro, às 21h15, no estádio Cornélio de Barros, a “muralha” da equipe precisa ser mais sólida do que nunca para que, do meio pra frente, o time tenha a segurança para atacar e garantir um triunfo que poderá cravar a permanência da agremiação no certame

para a próxima temporada.

Com apenas dois gols sofridos nas últimas cinco partidas, no mesmo período de tempo a defesa azulina foi a que menos foi vazada no Grupo A. Com a compactação elevada e com a transição em tempo certo entre as duas extremidades do campo, o treinador João Nasser Neto, o Netão, com exceção de Dudu Pacheco no ataque no lugar do suspenso Gabriel Lima, deverá manter a base do time que vinha atuando, em especial no setor de defesa.

Repetindo a escalação da “muralha azulina”, no meio-campo, ao lado de Dudu, Vacaria, que demonstrou qualidade à frente da cabeça de área, irá assumir a camisa 5. Com o respaldo de Bruno Maia e Mimica, a dupla de zaga, conforme Netão, deverá ter papel fundamental, já que as jogadas aéreas são uma das principais características do Salgueiro, que deverá tentar fazer o jogo da vida para se livrar do rebaixamento.


Contudo, mesmo com o entrosamento do quarteto, uma peça se destaca na onzena no quesito defesa: o goleiro Vinícius, que tem sido a principal peça na retaguarda remista. Para Vinícius, para esse embate, a defesa será tão vital quanto o ataque. “Todo jogo fora de casa é perigoso. Mas estamos bem arrumados, o Netão ajeitou um esquema bom pra nós. O time deles vai propor o jogo, por isso precisamos de paciência, ter controle das coisas e não se expor, porque qualquer brecha será fatal”, disse o arqueiro, que tem fechado o gol nas últimas apresentações do Leão.

Um dos motivos do resguardo azulino é o retrospecto negativo em duelos contra o adversário pernambucano, somando quatro derrotas e um empate, em cinco jogos. Dessa maneira, mesmo com a fase ruim do Salgueiro, todo cuidado é pouco. No entanto, os jogadores deixam claro que o time não irá se retrancar, mas, sim, jogar de maneira inteligente, pelas circunstâncias gerais da partida. “Podemos deixar pra trás essa margem de rebaixamento, mas não podemos entrar pensando só nisso, e sim em ganhar. Eles têm um bom rendimento contra nós, por isso temos que estar ligados para encerrar esse tabu e vencer”, destacou Vinícius.

PARA ENTENDER

Com o empate entre Juazeirense e Santa Cruz, ontem, a situação é a seguinte: caso vença o Salgueiro hoje, o Remo estará salvo, já que irá a 21 pontos; o time pernambucano, com 17, estará rebaixado; já o Juazeirense, só poderá chegar aos mesmos 21 do Remo e do Globo, na última rodada, mas perderá para o Leão no primeiro critério de desempate, o número de vitórias. A briga e única chance de salvação do time baiano, nesse caso, será contra os potiguares.

SALGUEIRO FOCA NO TABU

– Há oito partidas sem conquistar uma vitória e com chance real de sofrer com o descenso na temporada, a situação do Salgueiro é desesperadora na tabela da Série C, em que ocupa a lanterna da chave. Para piorar, o Carcará enfrentará o Remo que vem em momento distinto, com direito a duas vitórias consecutivas. Contudo, diante do Leão, os pernambucanos costumam sempre sorrir ao final do jogo.

– Em todos os embates entre as agremiações, o Salgueiro nunca perdeu para o Remo, dessa maneira, o time espera manter o tabu em cima do rival, o que poderá fazer com que a equipe deixe a zona da degola.

– “Vamos jogar em casa para vencer. É um time (Remo) que vem motivado, mas é nosso jogo para pontuar”, disse o treinador Sérgio China.

Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

(Matheus Miranda/Diário do Pará)