Sem nenhuma definição, hoje, a vida do Clube do Remo é movida a especulações e incertezas. Com muito falatório e poucas ações, principalmente no setor de futebol, carro-chefe da equipe, as promessas de planejamento pronto, mas sem data programada para agir, se encaminham para mais uma atrapalhada para os azulinos. Não querendo repetir as campanhas deste ano, onde nada foi conquistado no futebol, o Leão já deveria ao menos ter uma base para a disputa do Paraense, que começa em janeiro. No entanto, essa demora na preparação acaba comprometendo, também, a competição mais importante para os azulinos, o Campeonato Brasileiro da Série C.

A exemplo do Estadual, a Terceirona do ano que vem também terá sua estreia antecipada, devido a Copa do Mundo da Rússia. Assim, o certame começará no dia 24 de abril. Diferentemente do Mais Querido, algumas equipes que irão disputar o certame em 2018, no grupo do Leão, já deram os primeiros passos com os preparativos. Como no caso do Confiança-SE, uma das pedras no caminho do Remo nessa temporada, que renovou com o goleiro Genivaldo e deverá oficializar, ainda neste final de semana, a permanência do técnico Ailton Silva, principal responsável pela arrancada fulminante do Dragão na reta final da Série C.

OUTRS EXEMPLOS


Outra equipe que já segue se mexendo é o Juazeirense-BA, terceiro colocado da Série D deste ano, que renovou com o técnico Carlos Rabelo, o encarregado pela campanha memorável do time no acesso. É necessário destacar também que o ABC-RN e o Náutico-PE, dois dos possíveis clubes rebaixados para a Terceirona do ano que vem, seguem em atividade e já contam com uma pré-montagem para o próximo ano. Além disso, todas essas equipes irão disputar a Copa do Nordeste, principal certame da região, que começa em janeiro, o que faz com esses times montem um time forte logo de cara.

Direção diz que saberá agir

Enquanto priorizam outros fatores, como os procedimentos rotineiros previstos no estatuto do Remo, os responsáveis pelo futebol azulino acreditam que tudo vai ser realizado na hora certa. “Existem algumas prioridades nesse momento no clube para ser resolvido, como as reuniões do Condel (Conselho Deliberativo). Apenas após isso é que tudo deverá ocorrer e, a nova diretoria, já sabe como fazer”, explicou o diretor interino de futebol, Paulinho Araújo. É bom que as coisas realmente estejam engatilhadas, pois, se o Remo não se espertar, a probabilidade de repetir as mesmas façanhas desse ano em 2018, pode ser grande.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)