Escalação guardada sete chaves no Bicola

Com tantos treinos secretos, sem a presença da imprensa e sem que o técnico Marcelo Chamusca tenha dado, até ontem, sequer uma dica sobre o assunto, anunciar oficialmente a escalação do Paysandu para o Re-Pa é um verdadeiro exercício mental. As dúvidas surgiram após a boa apresentação do time B bicolor na vitória sobre o São Francisco, em Santarém. Até mesmo o treinador deixou transparecer uma certa ponta de surpresa com a atuação de jogadores que não vinham tendo vez como titulares.

 


Mas as apostas na Curuzu giram em torno da manutenção da base da equipe que vinha sendo utilizada por Chamusca até a vitória sobre o Galvez-AC, pela Copa Verde. Alterações, no entanto, devem acontecer de maneira pontuais. Os mais cotados para aparecerem como titulares são o lateral-direito Hayner (foto), o meia Will, na função de lateral-esquerdo, e o atacante Alfredo, este, um dos principais artilheiros da equipe no Parazão, após ter balançado a rede por duas vezes em Santarém.

 

Questionado sobre eventuais alterações no time, Chamusca saiu pela tangente, alegando que aguardaria “uma conversa com os jogadores” e os treinamentos da semana de preparação para o clássico. A posição do comandante bicolor atiçou a ansiedade dos jogadores. “Todo mundo está querendo jogar, mas não sabemos quem será escalado para o início da partida”, admitiu Alfredo.

 

 

(Nildo Lima)