Considerado um dos melhores e mais habilidosos meias do futebol paraense desde 2006, quando foi revelado pela Tuna Luso Brasileira, o fato de Flamel ainda não ter se firmado em um clube de maior torcida no Estado é, para muitos torcedores, uma incógnita. Talvez o fato de ser meio tímido, caladão, não some muitos pontos a favor do atleta. Ele já marcou dois gols nesta Série C, mesmo na reserva durante quase toda competição.

Às vésperas de um jogo decisivo, em que a torcida deposita nas suas costas a maior parte das esperanças, o discurso humilde se mantém. “Todo jogador quer começar jogando, venho trabalhando muito forte para conseguir essa vaga. Se for o desejo do nosso treinador, vamos dar o nosso melhor”, promete o meio-campista.

Apesar do time pouco ter jogado nas últimas rodadas com dois meias de características parecidas, Flamel acredita que seu entrosamento com os colegas não deve ser problema por conta do tempo de preparação com o grupo e pelas oportunidades de entrar ao longo dos jogos.


Rodagem

Flamel também é um dos atletas que mais disputaram a Série C, se somadas as experiências pelo Águia de Marabá, Treze-PB e Remo, ele sabe que o empenho na reta final será decisivo para as pretensões do time. “É uma questão de mais ofensividade. Temos que mudar a postura. O Leo vem cobrando bastante isso da gente. Ele mudou o time. O que ele quer um time mais compacto e buscando o gol a todo momento. Ganhamos mais na criatividade, mas vamos precisar nos superar na marcação para ocupar espaços”, avalia.

Botafogo vai manter base

Dono de uma das campanhas mais irregulares da Série C, o Botafogo-PB começou a competição na liderança da tabela, jogando com estádio lotado. A boa fase durou praticamente até a vitória contra o Clube do Remo. Na rodada seguinte, o time venceu fora de casa o Confiança-SE, mas depois foram seis derrotas seguidas que quase derrubaram o Belo para a zona de rebaixamento. A gordura obtida nas primeiras rodadas, no entanto, deixou os paraibanos na sexta colocação, apenas um ponto atrás do próprio Remo.Embora uma vitória no duelo de hoje permita que os visitantes pensem em G4, o técnico Ademir Fonseca tem metas mais modestas. “A nossa grande preocupação, a princípio, é exterminar de vez qualquer chance de rebaixamento. Vínhamos de uma sequência muito ruim e as coisas parecem ter mudado. Mas é preciso ter cuidado”, comentou. Em meio ao discurso modesto, o treinador afirma que a melhor forma de garantir a fuga da Série D é vencendo, então seu time promete buscar os três pontos no Mangueirão.

Em relação ao time que jogou contra o Moto Club-MA, apenas o zagueiro Plínio é desfalque. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele deve ser substituído por Jonas, que pode fazer seu primeiro jogo como titular. Outra possível novidade é o retorno do volante Djavan. Afastado por lesão, o atleta volta a ficar à disposição do treinador.A grande aposta do técnico do Belo, no entanto, é Rafael Oliveira. Após uma série de cinco jogos sem marcar, o atacante fez o primeiro gol do Bota, de letra, na última partida. “Uma série longa de jejum incomoda, mas graças a Deus a experiência me ensinou como lidar com esses momentos. O importante é me recuperar a tempo de ajudar o time”, afirmou o artilheiro da equipe na temporada, com 21 gols.

(Taion Almeida/Diário do Pará)