Quem acompanha os treinos do Remo já consegue ver uma mudança no comportamento da equipe e com o trabalho do treinador Léo Goiano. Mas tem uma situação que está chamando muito mais a atenção: a tranquilidade. Pelo que se vê, o ambiente no Baenão é o melhor possível e isso pode ser um ponto importante para o crescimento da equipe na competição. O atacante Pimentinha comenta que o ambiente sempre foi o melhor no Baenão, mas “agora está melhorando cada vez mais. Porque a gente sabe da qualidade do nosso time. A gente está se encontrando dentro de campo”, afirma. “A partida contra o Fortaleza mostrou para a gente do que o grupo é capaz. Isso fortalece a gente e cada dia mais vamos nos fechando para a reta final do campeonato”, destaca o azulino.

Alguns jogadores novos chegaram para o elenco e já estão se entrosando com os novos companheiros. Pimentinha ressalta que é preciso acolher todos bem, para unir ainda mais os remistas. “Temos de deixá-los à vontade, para que eles se sintam bem, em casa, para exercer o trabalho deles e ajudar a gente”, diz.

VENCER E CONVENCER


O confronto entre Clube do Remo e Asa-AL, na segunda-feira (24), será somente o quarto entre as duas equipes. Entretanto, o time azulino ainda não conseguiu derrotar o Fantasma nestes encontros anteriores. Com mais uma oportunidade de vencer o Asa, os azulinos vão com tudo para cima do adversário, até para melhorar sua posição na tabela do Brasileiro da Série C.

O lateral-esquerdo Jaquinha afirma que o adversário da próxima rodada é muito perigoso. Além disso, até aqui no Campeonato Brasileiro da Série C, a tabela segue muito embolada e qualquer vitória é fundamental para a sequência da competição. “É um adversário perigoso, tem o vice-artilheiro da competição. O professor Léo Goiano já comentou conosco sobre a equipe deles, que devemos ter muita atenção”, destaca o camisa 6.

O Asa, assim como o Remo, vive altos e baixos na competição. Desta forma, mesmo com bons jogadores, a equipe sofre na Terceirona, tanto é que está na zona do rebaixamento. E os azulinos querem se aproveitar do momento dos alagoanos para voltar a vencer. “Eles têm um time muito rápido, mas não tão organizado assim. Precisamos tirar proveito desta desorganização deles, para que a gente faça um grande jogo”, afirma Jaquinha, ressaltando que uma vitória pode trazer a paz de volta, junto ao torcedor azulino, que ainda espera uma boa atuação dentro de casa. “Dentro de campo, é fazer um grande jogo e conseguir o resultado, que tudo volta ao normal”, argumenta o lateral.

(Café Pinheiro)