Círio de Nossa Senhora de Nazaré além de transmitir amor, fé e solidariedade, emociona a todos que acompanham a festa. E com os jogadores do Paysandu não poderia ser diferente.

Os jogadores Bruno Oliveira, Caíque Oliveira, Nicolas e Victor Oliveira marcaram presença para ver a passagem da santinha, assim como o técnico Hélio dos Anjos.

Em entrevista à assessoria de comunicação do clube, o lateral-direito Bruno Oliveira, que é paulista, falou sobre a oportunidade de acompanhar viver o Círio. “Experiência única. Uma emoção muito grande de presenciar a fé do povo paraense. Só agradecer ao futebol, pois ele que me proporcionou a chance de estar aqui vendo de perto essa festa linda junto com Nossa Senhora de Nazaré. Estou muito feliz e mandei mensagem para a minha família toda, com fotos e vídeos, ficaram todos emocionados”, contou.


Jorge Luiz/PSC

Caíque Oliveira, que é de outra religião, apontou que o Círio emociona, independente de crença religiosa. “Pra mim é muito diferente. Eu não sou católico, venho de uma família evangélica, mas é impossível de não se emocionar, pois se vê a fé do povo paraense, pessoas passando de joelho, chorando. Foi uma sensação incrível, um momento único na minha vida. Vai ficar marcado, é fora do comum, não sei nem explicar”, disse.

Jorge Luiz/PSC

O artilheiro Nicolas recebeu de presente um pedaço da corda que puxa Nossa Senhora de Nazaré. Para quem não sabe, a corda é um dos principais símbolos da festa. “Estou muito feliz. Não fiz esforço nenhum para ganhar. Queria agradecer, pois a gente vê o empenho e a dedicação dos fieis para conseguirem um pedacinho de corda, então eu felizmente ganhei de um torcedor, deixo aqui o meu obrigado. Feliz de estar aqui curtindo”, afirmou.

Jorge Luiz/PSC

O zagueiro Victor Oliveira é paraense de nascimento, mas se mudou desde cedo. Ontem ele teve a oportunidade de acompanhar o Círio, participando de uma parte da procissão na corda. “Um sentimento único. Como cristão, eu só tinha como ver antes pela televisão e por notícias, não tinha nem ideia do fervor que é viver isso de perto. Agora em Belém, jogando no Paysandu, tive a oportunidade. É uma coisa que eu não consigo explicar e nem tenho palavras para expressar a gratidão que eu tenho por tudo que vivi”, disse.

Jorge Luiz/PSC

O técnico Hélio dos Anjos, que é muito religioso e identificado com Nossa Senhora de Nazaré, recentemente fez uma homenagem para a padroeira dos paraenses. “Eu fiz uma tatuagem para fazer uma marca definitiva dessa veneração que tenho por ela, que começou em 95. É uma homenagem a um sentimento meu e toda religiosidade do povo paraense. É uma emoção indescritível”, falou.