Mahicon Librelato calava o Mangueirão e dias depois do jogo foi vítima fatal de um acidente.

A torcida do Paysandu viveu um ano mágico em 2002, pois conquistou a Copa Norte, a Copa dos Campeões com a inédita vaga para a Libertadores e o tricampeonato paraense, mas uma partida gerou muita frustração para a Fiel. Jogo este que neste domingo (17), completa 17 anos cercado de muitos mistérios.

Já garantido na Série A do Brasileirão de 2003, o Papão encerrava a temporada com estádio lotado diante do Internacional-RS, que precisava da vitória a todo custo para evitar o rebaixamento para a Série B, algo inédito na história do clube.

O jogo foi cercado de expectativa, pois o Papão tinha chances de rebaixar o Internacional-RS diante da torcida. A Fiel que naquela época liderava a média de público na Série A lotou o estádio, no último jogo do Papão na temporada.


PASTA OU MALA PRETA?

Um dirigente gaúcho veio a Belém dias antes do jogo titulado pelos colorados de “Batalha do Mangueirão”. Ao desembarcar na capital ele estava com uma pasta preta na mão e perguntou a um taxista sobre o goleiro do Paysandu. Ao saber dessa história, o Papão passou por mudanças rápidas para o jogo decisivo e Marcão foi escalado para o jogo.

ÚLTIMO GOL EM VIDA

Em campo, o Papão enfrentava velhos rivais como Clemer e o técnico Claudio Duarte, com passagens pelo Remo e após um primeiro tempo sem gols, os gaúchos vieram para cima e acabaram vencendo por 2 a 0, com gols de Fernando Baiano e do novato Mahicon Librelato, o que gerou alívio colorado e revolta da torcida na saída do Mangueirão.

Dez dias depois daquela partida, o recém-candidato a ídolo colorado acabou vindo a óbito de forma precoce, após um acidente de carro, em Florianópolis (SC). Até hoje, o atleta é lembrado pelos torcedores devido aquele gol contra o Paysandu.

No ano em que retornava a elite do futebol brasileiro, o Paysandu disputou 25 partidas, com nove vitórias, dois empates e 14 derrotas. O time paraense terminou a competição na 20ª posição, com 29 pontos no Brasileirão, que foi o último no formato de turno único, com 26 equipes.

(Diego Beckman/DOL)