Apartir da próxima quarta-feira (3), o Clube do Remo dará início à sua primeira meta para 2018: uma boa participação na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Todos no clube acreditam piamente no potencial dos jovens jogadores. Ao todo, 21 atletas compõem o grupo. Alguns, inclusive, foram promovidos ao profissional da agremiação por estarem preparados para competições de alto nível. De acordo com os diretores, talvez essa seja uma das safras mais talentosas das categorias de base do Remo nos últimos anos.

João Nasser Neto, o Netão, será o comandante da equipe. Netão supervisiona as atividades voltadas à base há anos e, dessa maneira, o treinador diz conhecer muito da personalidade e estilo de jogo de cada atleta. Por isso, através do convívio, saberá como extrair, em campo, o melhor de cada jogador. “Posso dizer que conheço todos eles. Desde novembro nosso treinamento foi pegado, foi forte. Esses jogadores que estão indo, assim como os que ficaram, todos têm talentos de sobra. Sei como fazer para eles colocarem tudo nos jogos. Essa é uma oportunidade para todos nós, e não queremos desperdiçar”, destacou Netão.

A maioria do plantel é formado pelos jovens que foram campeões do Parazão sub-17 da temporada 2017. No decorrer dos treinamentos em Belém, o grupo se mostrou maduro em diversos momentos, transmitindo foco e contração. Porém, por se tratarem de jovens que ainda estão começando a carreira, o Clube do Remo afirma que nenhum jogador entrará pressionado. “Tivemos o cuidado de conversar com todos. Sei que muitos estão ansiosos, mas deixamos claro que não precisam se cobrar em caso de negativa. Somos uma família, e não queremos o mal para nossa família. Que eles se divirtam e façam o melhor. Confiança sim, cobrança não”, esclareceu o diretor de futebol Paulinho Araújo, que chefiará o grupo.


DESTAQUE DO TIME

Hélio Cunha Borges, atacante de ofício, de 17 anos, é uma das esperanças remista para a competição. Hélio é oriundo do futebol de salão, por onde chegou ao Remo, em 2016. Por demonstrar velocidade e precisão nas finalizações, foi integrado ao sub-17 já no futebol de campo. Na categoria, o jogador foi campeão paraense e autor de 5 gols. Hélio ainda fez parte da equipe do sub-20 para a disputa do Parazão. Embora o título não tenha vindo, o atacante repetiu o faro de gol, anotando 6 tentos. O desempenho do jogador o levou a ser promovido ao elenco profissional para 2018.

Embora mantenha a calma pela busca de espaço, Hélio elucida a importância da Copinha para sua carreira. “É uma competição que pode nos ajudar muito. Todos nós queremos mostrar nossas qualidades para vencer. Sei que um bom desempenho pode me ajudar no profissional. Mas ainda sou novo, sei que terei minha chance. Com calma as coisas vão aparecer. Mesmo assim, vou fazer o meu melhor para ajudar o meu time na competição”, disse.

Para o jovem, esse é o momento de colocar em pratica tudo o que foi desenvolvido. “Estamos treinando desde o começo do ano. Esse grupo está junto desde o Paraense Sub-17. Tenho muita fé que vamos fazer bons jogos”, destacou Hélio.

O LEÃO NA COPINHA

O Leão Azul jogou a Copinha seis vezes e, em 2010, realizou a sua melhor campanha na competição. Naquela edição, apesar da derrota na estreia para o Paulínia, por 2 a 1, o Leão se classificou e primeiro lugar do seu grupo, com vitórias em cima do Atlético-PR, por 2 a 1, e do Al-Hilai, time estrangeiro convidado, por 1 a 0. O Remo foi eliminado na fase seguinte para o Desportivo Brasil, nas cobranças de pênaltis e com um jogador a menos.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)