Belém, Pará, Brasil. Bola. Treino Remo no Centro de Esportes e Juventude (CEJU) - Complexo do mangueirão. 29/12/2017. Foto: Irene Almeida/Diário do Pará.

Devendo passar por alguns retoques antes da partida de estreia do Campeonato Paraense, no próximo dia 14, contra o Bragantino, o Clube do Remo já possui um esqueleto do provável time que entrará em campo. Mesmo sem a total certeza, algumas posições têm seus candidatos favoritos para ocupação, como goleiro Vinícius, os alas Esquerdinha e Levy, assim como o zagueiro Bruno Maia e o atacante Felipe Marques. Por outro lado, o setor de criação da equipe ainda segue indefinido. O treinador Ney da Matta já testou as suas três peças de armação e, apesar do diferencial técnico, ambos tiveram o desempenho semelhante. Contudo, em um comparativo dos jogos-treinos, é possível destacar a postura do time com a presença de Rodriguinho, Adenilson e Andrey, assim como a produtividade de cada um.

Rodriguinho entrou na onzena encarada como titular nos três jogos do Remo. O jogador não balançou as redes e também não conseguiu realizar nenhum passe para gol. Todavia, a presença do jogador, sobretudo nos dois primeiros jogos-treinos, permitiu que a equipe focasse mais no controle de bola e, consequentemente, nas saídas pelas laterais. Diante do Castanhal, Rodriguinho pouco foi útil na meia cancha, passando praticamente em branco no confronto.

Dos concorrentes, Andrey é o que teve melhor aproveitamento nos jogos-treinos e pode pular na frente na briga pela titularidade (Foto: Irene Almeida)


Adenilson, destaque na campanha do Fortaleza-CE na Terceirona de 2017, só atuou no segundo tempo do coletivo diante do sub-20 da agremiação. No entanto, em apenas 45 minutos, o jogador conseguiu marcar um gol, servindo também como outra opção de ataque. Por ter mais mobilidade, Adenilson demonstrou que uma das suas características é a subida incessante ao ataque. Porém, devido a dores musculares, o jogador acabou perdendo espaço, algo que ainda dá tempo de recuperar. “Fiquei alguns dias foras. Infelizmente acontece. Mas tenho plenas condições de atuar. Sei que a equipe está adiantada, mas não totalmente definida. E isso me motiva a buscar a posição, com respeito aos meus companheiros”, disse o meio-campista.

Outra opção é o jovem Andrey. O garoto foi o que mais rendeu conforme as exigências do setor de criação. O jogador atuou contra o Sport Belém e Castanhal e, nos dois jogos, o atleta ocupou o espaço central do campo, de onde deu assistência para Gabriel Lima, diante do Dragão, e para Jayme, contra o Japiim. Com o retorno de Adenilson, a vaga tende ficar mais disputada. Dessa forma, essa reta final de treinamentos será crucial para que Ney da Matta defina o futuro maestro azulino.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)