No decorrer de ontem, foi especulado que o presidente Manoel Ribeiro havia batido o martelo e, após analisar com calma todos os planos recomendados pela comissão de diretores liderada por Milton Campos, teria concordado com as condições e os autorizado a seguir com o trabalho. Mas, na verdade, Ribeiro fez uma contraproposta e, agora, aguarda o colegiado decidir se irá ou não aceitar os termos do gestor.

O Marechal afirma ter conhecimento que a instituição precisa de novas mentes, principalmente em um momento complicado. “Eu já dei meu parecer para o Milton, concordando que ele e a sua equipe tomem conta do futebol. Evidentemente precisamos de cuidados. Mas, eu expliquei para todos, na reunião, que o Clube do Remo não é só o futebol e que, por isso, minha presença e experiência poderá ajudá-los a tomar decisões importantes em outras áreas”, avalia.

Para Manoel, a comissão tem bons pensamentos e excelentes projetos, contudo, isso não significa que ele tenha que abrir mão da sua função. “Tudo o que acontece de ruim no Remo é culpa minha. Ou seja, se tenho a possibilidade de reverter isso com a ajuda dos novos diretores, é claro que vou me fazer presente. Preciso mostrar que tenho capacidade para ajudar e que sei como ajudar”, esclareceu.

NÃO É O FUTEBOL


Ainda de acordo com o Marechal, o problema não é ceder o futebol azulino, mas sim, o setor administrativo, o comercial, o marketing e o financeiro, o que faria da sua figura, apenas uma “peça simbólica”.

Por outro lado, o diretor Milton Campos acredita que a melhor solução para o Remo é a presença efetiva de um grupo que cuide dos setores vitais da instituição. “Estamos realizando bons trabalhos nesse pouco tempo de atuação. Por isso, nosso planejamento realista tem tudo para ajudar o clube. Só que para isso é importante termos conhecimento de tudo o que acontece em determinadas áreas, como o administrativo e o financeiro, que são as principais deficiências hoje. Se for para cuidar apenas do futebol, não faz sentido, até porque esses outros departamentos são importantes sustentos para o sucesso no esporte”, diz.

DECISÃO SAI AMANHÃ

Milton Campos avisa ainda que o grupo que lidera deve dar um parecer se continua ou não na gestão azulina até amanhã. “Eu estou apto para ajudar o Remo. Tenho um projeto com a minha equipe e acreditamos que ele servirá muito bem na realidade atual do Remo. Por outro lado, a opinião do presidente precisa ser levada em conta e, por isso, é aceitável as condições. Mas, alguns membros ainda querem analisar melhor a situação”, justifica.

CURTAS AZULINAS

– Na manhã de hoje, o Baenão servirá como ponto de pouso presidencial. Com agenda em Belém, o presidente da república Michel Temer, junto com o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, desembarcará de helicóptero no estádio azulino, para dar início às suas atividades no Estado.

– O jogador David Lima, de apenas 17 anos, retornou a Belém após período de testes no Corinthians. Apesar de ter sido aprovado pela comissão técnica das categorias de base do Timão, pelo fato do meio-campista ser menor de idade, o Ministério Público de São Paulo pediu todos os documentos necessários do jogador, para autorizar o negócio. No entanto, a falta do currículo escolar atrapalhou o caso, sendo o motivo do retorno. David deverá voltar a São Paulo ainda esse mês. Estima-se que o Remo ganhe cerca de R$ 400 mil com a transação.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)