O ano de 2019 tem sido um divisor de águas na carreira do meia Lukinha. O jogador tem aproveitado tanto que praticamente não parou. Ele começou a temporada com a camisa do Bragantino, na excelente campanha do Tubarão do Caeté no Parazão e na Série D. Depois emendou a Segudinha pela Tuna e, em seguida se apresentou para a pré-temporada com o novo clube. Aos 22 anos, o meia afirma querer colocar em campo a felicidade que sente fora pela oportunidade que conquistou.

“Sempre tive o sonho de jogar aqui. A massa que vai ao estádio é f…. É um sonho que está sendo realizado. Estou ansioso para estrear. A torcida do Bragantino apoia e empurra o time, mas não tem como comparar com a do Remo, com todo respeito”, afirmou um empolgado Lukinha.


Os testes diante do Japiim são ressaltados por ele como muito importantes nessa fase de preparação, onde os jogadores começarão a sedimentar os respectivos espaços no time de cima. “Esses amistosos serão muito importantes para a nossa preparação. Contra a Desportiva a gente vinha de treinos muito puxados para a parte física, o que pesou um pouco, agora será diferente”, disse. “Estreia sempre é muito importante. Até o Parazão a equipe estará bem encorpada pra começar bem o Campeonato Paraense”, completou o jogador.

Lukinha lembrou que o adversário de logo mais vem numa condição parecida com a do Remo, de maior ênfase nos treinos físicos a com bola. “O Castanhal vem na mesma preparação que a gente, com ênfase na parte física como aqui. Acho que a partida será muito importante para os dois lados”.

Para chegar aos principais objetivos da temporada, em especial o acesso, Lukinha lembrou de uma fórmula que tradicionalmente funciona para os times locais em anos de conquistas: manter um equilíbrio dentro do elenco entre jogadores de fora e locais. “Acho quer o caminho é esse. Estão vindo grandes jogadores de fora para formar um time muito forte com os atletas da região”.