Garré é um dos que interessa o clube, embora o jogador tenha vínculo com o Santo André-SP.

Em algumas funções, a diretoria de futebol do Clube do Remo praticamente já definiu as preferências para 2020, como é o caso do responsável pela comissão técnica, que tem Rafael Jacques o escolhido, faltando apenas o anúncio oficial. Mas, nem tudo está 100% resolvido. Parte das dúvidas ainda paira sobre atletas que atuaram nesta temporada e que interessam para uma continuidade de vínculo, como é o caso do zagueiro Marcão e do meia-atacante Guilherme Garré.

De acordo com os dirigentes, os atletas sãos os únicos que interessam nesse momento para compor a lista dos remanescentes, que já conta com a presença do goleiro Thiago; dos zagueiros Fredson, Mimica e Rafael Jansen; do ala Ronaell, volante Djalma e atacante Wesley.

Os dois foram procurados pela agremiação para uma renovação e, apesar do interesse mútuo, ambos os profissionais esbarram em detalhes. No caso de Marcão, o entrave com o defensor esbarra na pedida salarial, hoje a principal bronca, visto que o próprio presidente azulino, Fábio Bentes, afirmou ter chegado ao limite de proposta.


Enquanto isso, na situação envolvendo Garré, o Remo tenta um novo empréstimo junto ao Santo André de São Paulo, equipe que tem os direitos do jogador. Acontece que há o interesse do time em contar com o meia para as competições do começo do ano que vem, já que o jogador foi importante neste ano na conquista do título da Série A2 do Paulista.

HISTÓRICO

Guilherme Garré atuou em 10 jogos pelo Leão e balançou as redes em uma oportunidade. Apesar de ter se afastado do time titular, na reta decisiva da Série C, para tratar de uma lesão na panturrilha, algo pontuado como um dos desfalques que acabou limitando os azulinos em campo no decorrer da competição. Garré deixou boa impressão interna e com a torcida. Segundo a diretoria, as situações serão resolvidas ao longo da semana.

(Matheus Miranda / Diário do Pará)