Belém, Pará, Brasil. Bola. Treino do Clube do Remo no Baenão. Na foto, Edigar e Pimentinha. 23-06-2017. Foto-Wagner Santana/Diário do Pará.

Jogando fora de casa, o Remo vai até São Luis (MA) para enfrentar o Moto Clube-MA, neste sábado (26), pela 16ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. Só a vitória interessa aos azulinos, que buscam uma vaga para a segunda fase da Terceirona. Acompanhe a partida no portal DOL e participe da transmissão com a tag #MCEXREM.

PRÉ-JOGO

Com apenas mais três jogos até o final da fase de grupos da Série C, poucas equipes não têm mais nada a disputar no torneio. No jogo de hoje, entre Moto Club e Remo, no estádio Castelão, em são Luís (MA), as duas equipes estão desesperadas atrás da vitória – a primeira para fugir do rebaixamento, a segunda para se garantir na segunda-fase. Se o ‘Papão do Norte’ aposta na força da sua torcida, fazendo promoções de ingresso, o Leão Azul aposta num herói que conhece bem o ambiente no seu ataque – Pimentinha, o ‘Motoqueiro Fantasma do Baenão’.


Formado na base do Moto, onde passou pouco tempo, Pimentinha tornou-se ídolo jogando no rival Sampaio Corrêa. Hoje, no Maranhão, será o “Espírito da Vingança” que mais uma vez tentará trazer a maldição contra aqueles que atentarem contra a equipe que defende. Tal qual Johnny Blaze, o Motoqueiro Fantasma dos quadrinhos Marvel Comics e imortalizado por Nicolas Cage no cinema, Pimentinha parece ter poderes especiais.

Seus reflexos e habilidades beiram o sobrenatural. Cola a bola nos pés e corre liso entre os marcadores adversários, fazendo tudo isso parecer natural e fácil. Constantemente é visado pelas faltas e marcação nos rivais. Mas apesar de apanhar muito, seu poder de regeneração não deixou que desfalcasse o time uma vez sequer por lesão. A dinâmica que imprime ao ataque azulino o torna uma verdadeira “corrente infernal”, com diversos elos agredindo as defesas adversárias. O técnico Léo Goiano já o defendeu como um jogador indispensável no time azulino por isso.

Mas o poder que a torcida do Leão Azul mais espera ver é justamente o seu mais famoso. O “Olhar de Penitência”. Aquela olhada rápida pra dentro da área, após um drible desconcertante, seguida de um passe certeiro para algum companheiro livre mandar pro fundo da rede. O Moto sentiu o peso desse olhar na estreia do jogador, no primeiro turno, com um gol de Edgar. O Botafogo-PB igualmente, na última rodada, no primeiro gol de Eduardo Ramos. Para enfrentar uma legião Motense, nenhuma resposta melhor do que um Motoqueiro Fantasma.

(Taion Almeida/Diário do Pará)