Quase um ano depois da tragédia envolvendo jornalistas, atletas e dirigentes da Chapecoense-SC , em novembro de 2016, o Ministério Público Federa l (MPF) concluiu nesta quinta-feira (26), as investigações sobre o acidente.

Segundo estudo feito pelo órgão, a causa do tragédia foi a falta de combustível na aeronave da empresa Lamia, que conduzia a comitiva de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia para a cidade de Medelín, na Colômbia, local onde seria a partida contra o Atlético Nacional, pela Copa Sul-Americana.


O estudo apontou irregularidades por parte da empresa de aviação nos voos da seleção argentina de futebol durante os jogos das Eliminatórias da Copa, no mesmo mês.

Todo o processo foi encaminhado para a Procuradoria da República no Distrito Federal, para medidas cabíveis junto aos familiares das 71 vítimas do trágico acidente, que abalou o esporte brasileiro e mundial.

(Com informações do MPF)