Após a sua chegada ao Remo, o técnico Léo Goiano não escondeu “temos pouco tempo para treinar e conhecer os atletas, então vamos investir num time que funcione, que dê resultados” comentou, apontando o sistema com três volantes como uma opção para equilibrar defesa e ataque. O time perdeu um dos atacantes e ganhou mais um volante, deixando a função essencial de criação nos pés do camisa 10, Eduardo Ramos, único meio campista do atual esquema.

O jogador avalia que as funções mudaram um pouco com esse novo esquema. “Não é que diminua minha marcação, tenho uma contribuição muito grande fechando espaços do adversário. Mas a minha recomposição é bem menor, contando com mais dois volantes. Ficamos com um homem a menos no ataque, mas também temos um pouco mais de liberdade para criar e chutar”, explica Ramos.

Eduardo avalia que, desde o jogo contra o Fortaleza, o time entrou num padrão e tem criado mais, jogo após jogo. ”O time encaixou e tem criado bastante. Acho que encontramos uma formação. Dentro ou fora de casa, não muda o apoio. Esperamos contra o Confiança apresentar o melhor futebol e conseguir uma vitória com bom placar”, explica.


O meia avalia que a mudança na lateral esquerda, com a saída de Jaquinha, lesionado, não deve trazer grandes mudanças ao time em termos táticos. “O Gerson é um excelente jogador. Já jogou e sabe cumprir as funções da posição”, define.

Fora ou em casa? O importante mesmo é vencer

Embora tenha vencido apenas uma partida como visitante na competição, muitos torcedores têm visto o Remo como um time que joga melhor fora do que em casa pelo número de pontos que arrancou. Foram três empates e uma vitória, com o time sofrendo apenas duas derrotas na Série C. Já em casa, embora tenha sofrido apenas uma derrota, para o Salgueiro, os empates sofridos contra Cuiabá e CSA parecem pesar na memória afetiva.

O volante Dudu explica que o time não prefere jogar, mas que há propostas diferentes de jogo. Algumas que o torcedor pode simpatizar mais. “Dentro de casa a gente tem que impor o ritmo de jogo, partir pra cima, para que o resultado venha a acontecer. Temos que tomar a inciativa e jogar pra frente, há a cobrança. Já fora de casa não tem tanto essa responsabilidade. Tanto que a gente fez dois bons jogos fora de casa e conseguimos dois empates, desde a chegada do Léo Goiano”, comenta o volante que mais uma vez deve ser titular.

Já o zagueiro Bruno Costa avalia que o time não conseguiu empolgar o torcedor, apesar dos resultados. “Acho que, jogando em casa nosso time ainda não conseguiu engrenar e fazer jogos consistentes. Mas desde a chegada do Léo, temos conquistado um padrão tático muito bom, então acredito que o time está se preparando para dar essa resposta. Se Deus quiser, contra o Confiança, conseguiremos manter os 100% em casa e se consolidar no G4”, define o zagueiro.

(Taion Almeida/Diário do Pará)