Através de uma live, o presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul anunciou medidas que o clube vai enfrentar durante a suspensão do Campeonato Paraense, por conta do novo coronavírus, com direito a boas notícias para o clube e para a torcida.

Para manter as finanças do clube, o dirigente garante que o clube vai suprir os salários de jogadores, comissão técnica e funcionários nos próximos três meses. “Temos várias idéias para tocar pela frente, mas já garantimos receita para o clube durante a paralisação, onde vai o meu obrigado aos jogadores e aos patrocinadores”, destacou o presidente, que apresentou o projeto de uma nova camisa bicolor.

“A camisa terá o nome resistência, devido ao atual momento que o clube vem enfrentando. Ela será nos moldes da camisa de 2014, com nomes dos torcedores na camisa. As vendas serão anunciadas em breve e esperamos arrecadar R$ 300 mil com a venda”, explica o dirigente.


Ainda sobre o clube, Gluck Paul falou sobre as obras no CT e garante a entrega de campos de futebol até o fim do ano. “A primeira etapa está prestes a terminar e meu objetivo como dirigente, como bicolor e como uma pessoa que quer o bem do Paysandu, quero entregar o espaço até o fim do ano para dar suporte aos jogadores e a base do clube”.

Apesar do futuro, o dirigente voltou a acusar a Federação Paraense de Futebol (FPF), sobre a falta de apoio e respeito para com o clube, principalmente na disputa judicial pelo acesso a Série C do ano passado. “Nós fomos assaltados em Recife (PE) e pedi apoio ao presidente apoio, mas ele não foi e no julgamento do STJD, o Náutico-PE teve dois advogados, sendo um da Federação Pernambucana de Futebol e nós fomos apenas com um advogado, sem qualquer representatividade da FPF com o clube”, disparou Ricardo, que ainda fez críticas sobre a paralisação do Campeonato Paraense.

“Teve um momento que bati na mesa porque senti o Paysandu lesado na reunião do conselho técnico, onde nossa revolta foi não votar algo que é de nosso interesse sobre o restante da competição, sem contar na polêmica da fórmula de disputa, que queria beneficiar o Remo, com seis mandos e a gente cinco”, ponderou.

Ricardo Gluck Paul ainda deixou um recado a torcida bicolor após as declarações. “No momento mais difícil, o torcedor nunca nos abandonou e contamos com ele para empurrar o Paysandu a novas conquistas”.

(DOL)