" Vou me juntar. Eu vim para isso. Independente do que ocorrer, do que for, se eu jogar ou não. Isso tem de ser uma família", Mikael, meia (Foto: Marco Santos)

O Clube do Remo já iniciou uma nova jornada. Após a derrota no último domingo para o arquirrival e a perda do título paraense, os azulinos já recomeçam os trabalhos com o foco voltado para o Campeonato Brasileiro da Série C, a competição mais importante do ano para a equipe. Com a chegada dos novos contratados, a expectativa é de que o grupo cresça, mas que siga com o mesmo espírito de luta, do time de operários.

 O meia Mikael, assim como alguns dos novos contratados, já está em Belém há alguns dias. Neste tempo na capital paraense, o jogador já pode sentir o calor da torcida e ver que a cobrança será grande. Além disso, o atleta diz estar pronto para ser mais um operário do Baenão. “Vou me juntar. Eu vim para isso. Independente do que ocorrer, do que for, se eu jogar ou não. Isso tem de ser uma família, se a gente quiser realmente subir. Isso é muito importante”, destaca o jogador.

Quem também deve fazer a sua estreia com camisa do Leão é o volante João Paulo. O atleta, assim como o seu companheiro Mikael, já sentiu a força do Fenômeno Azul e sabe que vai ser preciso jogar bola para corresponder às expectativas do torcedor. O meio-campista considera o “time de operários” um fator positivo na luta pelo retorno à Série B.


“Não tem vaidade, não tem estrela. Todos com o mesmo pensamento de vencer, de buscar o seu espaço, com muita humildade e trabalho. Respeitando a camisa do Remo e dando o seu melhor”, afirma. “Nós também somos operários. Viemos aqui para ajudar o Remo, com os garotos que estão aqui para formar uma família, junto com o professor Josué, e o foco é no Fortaleza-CE”, ressalta.

É levantar a cabeça e ter pensamento positivo

No próximo domingo, às 19h, no Mangueirão, o Clube do Remo vai iniciar a sua luta em busca do acesso para a Série B contra o Fortaleza-CE. O Leão, depois de uma derrota dolorida para o maior rival, precisa se recuperar rápido, já que não tem tempo para se lamentar e logo levantar o astral para o novo certame que vai começar.
O zagueiro Tsunami, que esteve em campo na derrota para o Paysandu, é direto ao dizer que não adianta mais ficar se lamentando. A hora agora é de levantar a cabeça. “Temos uma competição muito importante, e de cara tem logo o Fortaleza-CE. Um time muito bom. Temos de descansar e já trabalhar, ouvir o professor, porque vamos ter outra guerra domingo”, comenta.

O volante João Paulo, novato, avalia que é importante o grupo todo ter pensamentos positivos, para iniciar bem o campeonato. Já que, pela dificuldade do adversário, uma vitória na estreia e dentro de casa, será uma boa forma de começar a competição. “Precisamos mentalizar as vitórias, mentalizar a classificação, para, consequentemente, conseguirmos o acesso à Série B”, afirma. “Agora é o Fortaleza, Campeonato Brasileiro. Objetivo traçado que é a Série B. Nos preparamos bem, junto com quem está aqui, e muita luta e muita vontade não vão faltar”, completa.

(Café Pinheiro/Diário do Pará)