Apenas o retorno do lateral-esquerdo Peri, que cumpriu suspensão diante do Luverdense-MT, foi garantido, ontem, pelo técnico Marquinhos Santos. “A volta do Peri, depois da suspensão, é um retorno garantido”, confirmou. Mas, o comandante bicolor deixou no ar a possibilidade de fazer outras alterações na equipe. “Além do Peri, podem ocorrer uma ou duas outras mudanças”, adiantou.

O treinador, no entanto, só pretende anunciar a formação do Papão minutos antes da bola rolar na Curuzu. “Essas mudanças são em relação ao adversário. Quanto mais eu puder dificultar a escalação para o treinador adversário, vou fazer isso”, declarou Marquinhos, que pediu o apoio do torcedor bicolor.

“Não tem como pedir paciência ao torcedor com sete jogos sem vencer. O que peço é o apoio da torcida, como aconteceu no jogo passado”, apelou. Durante a preparação do time, o treinador fez algumas experiências, sem o acompanhamento da imprensa. “Nos treinos, testamos algumas situações”, revelou Marquinhos, que cobrou uma maior eficiência dos atacantes.

PASSADO É PASSADO


De volta ao time bicolor, Peri ressaltou que, apesar do Paysandu não vencer há sete jogos na Série B, a equipe não pode perder o ânimo. “O espírito tem de ser sempre o de motivação. Precisamos esquecer o jogo passado e pensar somente no Londrina e na vitória”, pediu o defensor. Ele também falou sobre a sua ausência no jogo contra o Luverdense-MT.

O lateral afirmou ter gostado da última apresentação do time. “Apesar da vitória não ter acontecido, não houve falta de empenho e dedicação da equipe”, analisou. O lateral ressaltou a importância de voltar a vencer. “Precisamos voltar a vencer o mais rápido possível, já que não podemos ficar tanto tempo sem pontuar no campeonato”, comentou.

São três pontos que garantem tranquilidade

A vitória da tranquilidade. É dessa maneira que o meia do Paysandu, Diogo Oliveira, encara o jogo de hoje, contra o Londrina-PR. Para ele, o resultado será importante para que o Papão volte a respirar na Série B do Campeonato Brasileiro. “Estamos precisando sair desse momento difícil, com sete jogos sem vencer. Só assim vamos ter mais tranquilidade”, salientou o atleta.

O apoiador disse entender as cobranças do torcedor do time. “Já passei por isso. A gente é aplaudido e vaiado no futebol. O torcedor tem todo o direito de cobrar. É preciso ter muita cabeça, muita concentração e foco. O torcedor pode ter certeza que nós, jogadores, também ficamos chateados”, declarou.

SITUAÇÃO INCÔMODA

De acordo com o meio-campista, a situação incomoda desde o jogador mais jovem até aqueles mais vividos no futebol, como é o caso dele próprio.

“É preciso ter muita sabedoria. Essa situação incomoda todo mundo, dos mais novos aos mais experientes, independentemente da idade”, observou. Assim como o técnico Marquinhos Santos, Diogo disse ter gostado da atuação do time diante do Luverdense, na última sexta, que terminou em 1 a 1. “Fiquei feliz nessa última partida. Já deu para ver uma evolução na parte tática. Aquele gol no final foi um banho de água fria. Isso ficou nítido no semblante de cada um no vestiário”, considerou.

(Nildo Lima/Diário do Pará)