Para o atacante Magno o momento vivenciado pelo Paysandu na Série B do Brasileiro não permite que o time pense em zona de classificação. De acordo com o jogador, o Papão tem, primeiramente, de mirar em outro objetivo e, só depois mudar o foco para a parte de cima da classificação. “Temos de ser claros. Precisamos trabalhar para se distanciar dos quatro lá de baixo para depois pensarmos em G4”, analisou.

Consciente do momento delicado enfrentado pela equipe na competição, Magno acredita que o adversário de hoje, o Ceará, também não passa por uma boa fase, embora esteja em posição superior a do Paysandu, na classificação. “Acho que os dois não estão numa situação muito boa”, comparou o atacante, que disse ter visto a derrota do alvinegro, em casa, diante do Goiás-GO.

Magno admite que a 16ª colocação ocupada pelo Papão, não é das mais confortáveis. “É uma situação em que a gente não gostaria de estar, afinal a gente trabalha para brigar por uma vaga lá em cima”, diz. Mas há uma saída. “Precisamos reagir e voltar a vencer já no jogo de sexta-feira (hoje) para que o grupo volte a ter confiança”, receita.


Magno afirma que o time bicolor trabalha para brigar na parte de cima da tabela. (Foto: Fernando Torres/PSC)

TIME TEM QUE TER CALMA E ENGATAR SEQUÊNCIA POSITIVA

Nada de desespero. É assim que o técnico Marquinhos Santos e os jogadores do Paysandu pensam com relação à sequência de jogos do time na Série B do Brasileiro. Para eles, a equipe tem de manter a calma e lembrar que a diferença entre o último colocado do G4, o Internacional-RS, e o último posicionado do grupo intermediário, no caso o próprio Papão, é de apenas 7 pontos, já contando com a partida do time gaúchona 17ª rodada.

“Não podemos entrar em desespero. A classificação está muito apertada, com vários clubes embolados com pontuação muito próxima”, salientou o atacante Bergson. O pensamento é compartilhado pelo volante Augusto Recife. “Está tudo muito embolado ainda. O que para gente é bom. Sabemos que se emplacarmos uma sequência boa vamos subir bastante na tabela”, diz o meio-campista.

Marquinhos tem pensamento parecido ao exposto por seus comandados. “É lógico que a gente gostaria de estar hoje em uma situação melhor, mas só vamos  poder falar em classificação mesmo na 38ª rodada”, argumenta. “A disputa ainda está muito parelha, com vários clubes tendo pontuação parecida. Uma vitória muda muita coisa”, salienta.

(Nildo Lima/Diário do Pará)