onquistada a Copa Verde, o Paysandu trabalha agora com duas metas, a primeira, a volta do time ao G4 da Série B do Brasileiro, de curtíssimo prazo, e a segunda, o acesso à Série A de 2019, de tempo mais longo. O primeiro objetivo já poderá ser alcançado neste sábado, quando o time enfrenta o São Bento-SP, na Curuzu.
Os bicolores podem não só assegurar a vaga no “pelotão” de frente da competição, mas até mesmo a liderança isolada do campeonato, dependendo de uma composição de resultados nos jogos das equipes que estão em degraus mais altos na pontuação.

O Papão ocupa, no momento, a 5ª colocação, com 11 pontos, depois de ter sido desbancado pelo Avaí-SC, que soma a mesma pontuação, mas tem saldo de gol, primeiro critério de desempate, superior: 6 a 3. A equipe catarinense, porém, já estreou na 6ª rodada da Segundona, enquanto os bicolores só jogam no final de semana.

Caso faça o seu dever de casa diante do Azulão Sorocabano, o Papão chegará, automaticamente, na ponta da classificação, desde que o Fortaleza-CE, líder da disputa, com 13 pontos, empate ou caia diante do Figueirense-SC.


A mesma situação do Fortaleza se aplica ao Vila Nova (13 pontos) e CSA-AL (12), nos jogos, fora de casa, contra o Oeste-SP e Londrina-PR, respectivamente. Para o técnico Dado Cavalcanti, o triunfo obtido pelo Papão na Copa Verde poderá servir de estímulo para a equipe campeã. “As vitórias e conquistas trazem confiança”, afirma.
Contudo, o treinador faz um alerta. “Mas não dá para se iludir. Estamos agora na Série B, que é uma competição diferente, de regularidade. Iniciamos bem o campeonato, conquistamos pontos importantes dentro e fora de casa e já temos um desafio. Então a confiança não pode morrer aqui”, salienta.

ALERTA

Por se tratar de uma competição longa, com 38 rodadas, Dado prevê dificuldades não só para o Paysandu, mas, também, para os outros 19 participantes do campeonato. “Estamos em um momento bom, mas precisamos estar preparados porque os ruins vão aparecer, aparecem para todas as equipes. O diferencial vai ser como ultrapassar isso, para quem sabe chegar ao acesso no final do ano”, argumenta o treinador, que já começou a traçar seus planos para encarar o São Bento: somar mais três pontos e manter a invencibilidade.

Sequência de empates precisa ser quebrada

Mesmo acumulando oito jogos sem derrota, incluindo partidas da Copa Verde e da Série B do Brasileiro, o Paysandu precisa voltar a vencer, já que em suas últimas três partidas, contra o Sampaio Corrêia-MA, Juventude-RS, pela Segundona, e Atlético-ES, pelo torneio interestadual, a equipe não foi além de empates, nos dois primeiros jogos, atuando como visitante. A reconciliação com a vitória e, consequentemente, os três pontos, já é esperada pelos bicolores na partida do próximo sábado, contra o São Bento-SP, na Curuzu.

“Nossa obrigação é vencer dentro de casa para que nosso time possa continuar brigando lá em cima”, aponta o zagueiro Perema. O jogador, no entanto, minimiza os resultados obtidos pelo Papão em suas últimas apresentações. “É bom vencer, mas os empates na Série B, foram fora de casa e o que tivemos contra o Atlético aconteceu depois de termos feito um bom resultado lá fora”, argumentou

(Nildo Lima/Diário do Pará)