Paysandu busca, hoje, sair do abismo da zona de rebaixamento da Série B do Brasileiro, enfrentando um adversário que também está em dificuldade na competição, o Juventude-RS, às 19h15, na Curuzu, pela 24ª rodada do campeonato. Pela primeira vez, desde 2016, um ano depois de ter retornado à Segundona, o Papão convive com a zona de “degola” da disputa. O time bicolor, que esteve no G4 por cinco vezes este ano, vinha contando com a “mãozinha” de outras equipes, notadamente Brasil-RS e São Bento-SP, que vinham evitando que o único representante da região Norte entrasse na temida zona de descenso.

Mas, a vitória do São Bento, por 1 a 0, sobre o Oeste-SP, em Barueri, fez com que a equipe paulista despachasse o Papão para a zona de rebaixamento, na qual a equipe paraense é a 17ª colocada, com 25 pontos. Fazendo o dever de casa, com um triunfo sobre o Juve, a zona poderá ter vida curta para o time bicolor. Com mais três pontos, a equipe do técnico Aílton Costa chegará a 28 pontos, desbancando o próprio São Bento, 12º colocado, dependendo, claro, de outros resultados no desfecho da rodada.

O Juventude, por sua vez, também tenta melhorar o seu perfil na classificação do campeonato. Embora esteja em situação um pouco mais confortável, ocupando a 14ª colocação, a diferença de pontos dos gaúchos para os bicolores é de apenas dois pontos.


Para o volante Renato Augusto, este é o momento em que o Papão não pode, em hipótese alguma, pensar em outro resultado que não seja a vitória. “Estamos encarando esse jogo como uma final”, diz o jogador. Ainda segundo ele, a partida contra o adversário do Sul é a oportunidade da equipe se redimir do tropeço, em casa, frente ao Sampaio Corrêa-MA, e, ao mesmo tempo mostrar que o grupo está ao lado do técnico interino Aílton Costa. “Tá todo mundo aqui com ele. Vamos respeitar e acatar o que ele pedir”, garante o volante.

Jogo marca estreia de técnicos 

Se do lado do Paysandu, o técnico interino Aílton Costa fará a sua estreia no comando, no Juventude a situação não é nada diferente, visto que Luiz Carlos Winck também dirigirá pela primeira vez a equipe gaúcha na Série B do Brasileiro. Winck, ex-ídolo da torcida do Grêmio-RS, na época em que jogava futebol, foi contratado pela clube de Caxias do Sul após o empate sem gols diante do lanterna Boa Esporte, resultado que culminou com a queda de Julinho Camargo, treinador que acumulava uma série de resultados insatisfatórios no cargo.

O novo comandante do Juve teve apenas uma semana para trabalhar com vistas ao confronto com o Papão. A apresentação do técnico ao elenco ocorreu na última segunda-feira, quando ele revelou ter em mente alcançar o primeiro objetivo, que é livrar o clube da “degola” na Série B. “Temos que pensar jogo a jogo. O pensamento é somar pontos o mais rápido possível e acumular uma gordura para sair dessa proximidade com a zona de rebaixamento”, declarou. Winck afirmou ter se deparado com um bom ambiente de trabalho no clube.

“Encontramos por aqui um grupo de qualidade, uma diretoria que pensa grande. Agora é acreditar no trabalho, fazer os atletas pensarem de forma positiva e conseguir os resultados”, afirmou. Ontem, após o último treino do time, já em Belém, Winck se negou a fornecer a formação de sua equipe.

Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

(Nildo Lima/Diário do Pará)