O que não foi feito em casa, ou seja, a conquista dos três pontos diante do CRB-AL, com quem o time só empatou (0 a 0), na última sexta-feira (13), agora precisa ser feito lá fora. Este é o pensamento do Paysandu, do técnico Marquinhos Santos aos jogadores. E confiança é o que não falta aos bicolores, que levam em conta o fato de o Papão ter uma grande performance em partidas fora de casa. Em 14 jogos como visitante, o Papão obteve cinco vitórias, dois empates e sofreu sete derrotas, somando um total 17 pontos dos 37 que a equipe soma na classificação do campeonato.

A campanha bicolor, no quesito jogos fora de Belém, é a melhor já feita por um clube local no Brasileiro. Amparado nos números, bastante favoráveis, o Papão sai agora para mais duas partidas seguidas, como visitante, encarando amanhã, o Luverdense-MT, em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso, e, na sexta-feira (20), o Londrina, na cidade homônima no Paraná. A ideia, segundo afirmou o zagueiro Perema, é trazer, na volta a Belém pelo menos mais da metade dos pontos que serão disputados. “Nosso objetivo é conseguir ao menos quatro dos seis pontos que vamos disputar nessas partidas”, revelou. “Força para isso nós temos e já mostramos neste campeonato”, complementou.

Marquinhos, o comandante da equipe, sem falar em números, segue o mesmo discurso de seus comandados. “Pela campanha que tem feito fora de casa, o Paysandu nos dá sim a esperança de que somos fortes fora de casa”, disse. “Isso nos dá, com certeza, a confiança de voltarmos pra casa com bons resultados”, argumenta o treinador.


O discurso otimista também é adotado pelo zagueiro Diego Ivo. “Estamos conscientes de que precisamos buscar pontos lá fora para que o time compense o que perdeu em casa”, admitiu. “Temos força para isso e vamos tentar as vitórias contra duas equipes fortes, mas confiantes, com certeza”, disse Ivo, que na sexta não teve a mesma sorte das partidas passadas, quando marcou gols decisivos.

Adversário e logística são bastante complicados

Se para o técnico Marquinhos Santos, alguns membros da comissão técnica e boa parte dos jogadores a viagem a Lucas do Rio Verde, é uma coisa inédita, para outros integrantes do elenco do Paysandu, o deslocamento até a cidade do interior do Mato Grosso não é novidade. É o caso, por exemplo, do volante Jhonnatan, que já atuou contra o Luverdense-MT em outras partidas pelo próprio Paysandu. Ontem, o meio-campista admitiu se tratar de uma viagem bastante cansativa, já que o time não tem como seguir direto de Belém até Lucas.

“É uma viagem complicada. Além do deslocamento pelo avião, ainda precisaremos pegar quatro, cinco horas de estrada”, salientou. “Isso acaba sendo desgastante, já que tivemos o jogo na sexta-feira (contra o CRB), mas a logística o Fernando Leite (gerente do clube) procurou fazer o melhor para que a gente chegue inteiro lá para o jogo de terça”, afirmou. A delegação bicolor viajou, primeiro, para Cuiabá, onde pernoitará e, hoje, de ônibus, segue para Lucas.

Jhonnatan prevê um jogo difícil, levando em conta o fato de o adversário se encontrar na zona de rebaixamento da Série B do Brasileiro. “Embora o adversário não tenha uma torcida grande, a pressão lá certamente que será grande, já que eles precisam vencer para sair dessa situação”, comentou. “Acho que é um bom momento para nossa equipe vencer e melhorar sua posição na classificação”, disse.

(Nildo Lima/Diário do Pará)