Longe da pressão de sua torcida, que já não tolera tantos resultados ruins, o Paysandu tenta, hoje, dar a volta por cima na Série B do Brasileiro, enfrentando o CRB-AL, a partir das 19h15, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela 10ª rodada da competição. O Papão espera acabar com a sequência de cinco partidas sem vencer, após um início animador no campeonato, que levou, precipitadamente, muita gente a sonhar com a volta da equipe à Série A em 2018. A vitória é de vital importância para que os bicolores recuperem a credibilidade e reacendam a esperança de acesso à elite nacional.

 Os bicolores viajaram para a capital alagoana na última quarta-feira levando na bagagem a responsabilidade pela recuperação do time na Segundona, depois de o grupo ter desperdiçado 7 dos 9 pontos que disputaram em casa, enfrentando o Goiás-GO (0 a 1), Juventude-RS (0 a 0) e Boa Esporte-MG (0 a 0). O calvário bicolor, no entanto, começou com a derrota, por 2 a 1, em Natal, diante do ABC-RN, tendo sido, também fora de Belém, batido pelo Guarani-SP, por 2 a 0. Os resultados culminaram com a queda do técnico Marcelo Chamusca.

 O técnico interino, Rogério Gameleira, o Rogerinho, assim como os jogadores bicolores, estão conscientes de que o time precisa reagir o quanto antes, caso queira mesmo manter o projeto de retornar à Primeira Divisão no ano que vem. “Não podemos continuar nos desgarrando do grupo que está lá em cima”, admitiu o zagueiro Fernando Lombardi. “Por isso a vitória é necessária, para que o time volte a ganhar confiança, deixando pra trás os resultados ruins que tivemos nas últimas partidas”, completou.


 A missão bicolor não chega a ser um bicho-de-sete-cabeças, já que o time conseguiu arrancar um empate (0 a 0) e uma vitória (2 a 0) jogando fora de casa, contra o Paraná-PR e América-MG, respectivamente. Para injetar ainda mais confiança ao Papão, o adversário não conta com retrospecto tão positivo atuando dentro de seus domínios. Em 5 partidas, o Galo da Pajuçara venceu 2 e perdeu 3, totalizando 6 pontos ganhos e 9 perdidos. A campanha bicolor em Belém, é um pouco superior a do oponente no mesmo número de jogos como mandante: 6 pontos ganhos e 7 perdidos.

IDENTIFICADOS COM O TIME ALVICELESTE

 O confronto entre CRB e Paysandu coloca em lados opostos os técnicos Dado Cavalcanti (foto abaixo, no treino do CRB) e Rogério Gameleira, o Rogerinho, que trabalharam juntos por duas temporadas – 2015 e 2016 – na Curuzu. O primeiro como comandante máximo do Papão e o segundo na função de auxiliar, que ainda exerce, mas que, no momento, cumpre o papel de “treinador tampão”, até a apresentação do novo comandante. Em sua passagem pelo Paysandu, Dado sagrou-se campeão paraense e da Copa Verde, tendo dirigido o time bicolor em mais de 100 partidas (confira o retrospecto).

Já Rogerinho vai hoje para o seu 10º jogo à frente do time bicolor desde 2013 ocupando a função de treinador sempre que o titular do cargo é dispensado ou pede para deixar o clube, como ocorreu há pouco com Marcelo Chamusca. No ano passado, Dado esteve no comando do Papão por duas vezes. Ele chegou a iniciar a disputa da Série B, mas acabou entregando o cargo após a derrota, no Recife, diante do Náutico-PE, por 3 a 1, quando foi substituído por Gilmar Dal Pozzo. O retorno aconteceu no mesmo torneio, na vitória, por 2 a 0, sobre o Ceará-CE, quando curiosamente, recebeu o elenco das mãos de Rogerinho, que ocupava o cargo de treinador após a dispensa de Dal Pozzo.

(Nildo Lima/Diário do Pará)