Na manhã desta sexta-feira (31), centenas de pessoas se reuniram em frente à Secretaria de Estado de Administração (Sead) para cobrar do governo a abertura da mesa de negociação da campanha salarial de 2017. 

Os servidores reclamam da imposição de um arrocho salarial por parte do Governo Simão Jatene aos servidores públicos do Estado Pará.

Por volta de 12h, parte dos manifestantes interditaram a avenida Almirante Barroso, próximo a travessa do Chaco, sentido Entroncamento-São Brás. Segundo a Polícia Militar da área, com a forte chuva que desabou no início da tarde, os servidores desbloquearam a via.

Veja imagens dos protestos


Além do ato, o atendimento nos seguintes órgãos não está funcionando normalmente hoje: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Centrais de Abastecimento do Estado do Pará (Ceasa), Insituto de Terras do Pará (Iterpa), Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) e Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap).

Foto: Via WhatsApp 

Os servidores reivindicam reajuste salarial de 20%; reajuste de R$ 200,00 no auxilio alimentação para todas as categorias; reposição das perdas históricas em 60%; suspensão dos Processos Seletivos Simplificados (PSSs); aprovação de novos Planos de Cargos e Carreiras (PCC); incorporação do abono do nível médio e realização de concurso público.

Caso as pautas não sejam atendidas, os sindicalistas planejam uma grande greve geral.

Protesto contra Reforma da Previdência

Além do protesto contra as medidas de Jatene, outro protesto ocorreu nesta manhã em Belém. Após ato em frente ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para protestar contra a Reforma da Previdência e  as mudanças na legislação trabalhista defendidas pelo governo do presidente Michel Temer, um grupo caminhou em direção à Praça do Operário, em São Brás.

O ato faz parte de uma agenda nacional que conta com uma série de manifestações que centrais sindicais e movimentos sociais em diversas cidades brasileiras dos Estados de São Paulo, Bahia, Pernambuco, Espírito Santo e Minas Gerais.

(DOL)