O clássico entre Remo e Paysandu deste domingo (23) será o de número 748 da história e o 27º na história do Campeonato Brasileiro, sendo o primeiro na história da Série C e apesar de poucos jogos, alguns deles são memoráveis entre os torcedores.

O primeiro Re-Pa em Brasileiros foi na disputa pela vaga do Pará no Norte-Nordeste, o que era equivalente a Série B e dentro do Baenão, o Paysandu levou a melhor ao vencer por 1 a 0, mas no jogo da volta na Curuzu, o Remo devolveu a derrota e venceu por 2 a 0 garantindo a vaga para a fase seguinte.

Entre os anos de 73 a 78, o clássico foi disputado na então Taça de Ouro, o que vale a Série A e o Remo venceu dois dos seis clássicos disputados, um deles foi registrado a maior golada do clássico em Brasileiros: o Leão venceu por 5 a 2, onde Amaral foi o nome do jogo a favor dos remistas.

A década de 80 teve duelos entre os rivais nas Séries A e B, mas o enredo terminou com absoluto domínio bicolor e um nome se destacou: Chico Spina, que marcou três gols, em dois clássicos em 1985 e se tornou um dos carrascos azulinos para delírio dos bicolores.

No inicio da década de 90, Remo e Paysandu jogaram a Série B e logo de cara, o Papão meteu 3 a 0 no rival com direito a show de João Carlos do Amaral, o Cacaio, que marcou dois gols na campanha do título bicolor da Segundona.

Esta acabaria sendo a única vitória do Paysandu na década de 90, pois o Remo venceu com direito a um Re-Pa na Primeira Divisão: foi em 1993 onde o pequenino Ageu Sabiá começava a encantar o Brasil na disputa pela artilharia do Brasileirão ao lado de Edmundo e a fome de gols do jogador começou justamente no clássico. Ainda na década de 90, o Remo aproveitou o famoso tabu de 33 partidas e engatou vitórias em cima do rival e com direito a festa dos paraenses, Edil, Ageu e Zé Raimundo.

Os anos 2000 chegaram e vieram clássicos especiais pelo Brasileirão: Leão e Papão disputaram a última vaga na fase final da Copa João Havelange e o nome dos jogos foi o carioca Robson Estanislau, o Robinho que foi o último a marcar três gols em um Re-Pa e justamente em Brasileiros, o que levou o Remo a fase final.

No ano seguinte, os rivais frente a frente e o Paysandu jogou na Curuzu contra o rival e foi um baile alvi-azul, que com golaços de Jóbson e Albertinho venceu por 3 a 1 no caminho que levaria ao bicampeonato brasileiro.

Em 2006, novos duelos entre Remo e Paysandu: Balão marcou dois e levou a Fiel ao delírio no primeiro Re-Pa, mas no returno, a festa foi remista com baile de Alex Oliveira.


E agora? Quem será o dono da festa do Re-Pa na véspera de São João? A resposta você confere no DOL no domingo a partir das 18h.

VEJA OS CONFRONTOS EM BRASILEIROS

Remo 0X1 Paysandu – 24/10/1971 – Série B

Paysandu 0X2 Remo – 17/11/1971 – Série B

Remo 1X1 Paysandu – 18/11/1973 – Série A

Remo 0X0 Paysandu – 19/05/1974 – Série A

Remo 2X0 Paysandu – 07/07/1975 – Série A

Remo 5X2 Paysandu – 07/07/1976 – Série A

Remo 0X0 Paysandu – 06/11/1977 – Série A

Remo 0X0 Paysandu – 26/03/1978 – Série A

Paysandu 1X0 Remo – 24/02/1985 – Série A

Remo 0X3 Paysandu – 07/04/1985 – Série A

Remo 0X2 Paysandu – 30/09/1989 – Série B

Paysandu 1X1 Remo – 28/10/1989 – Série B

Paysandu 3X0 Remo – 03/03/1991 – Série B

Remo 1X1 Paysandu – 03/04/1991 – Série B

Remo 2X1 Paysandu – 07/09/1993 – Série A

Paysandu 1X1 Remo – 06/10/1993 – Série A

Remo 3X2 Paysandu – 01/09/1996 – Série B

Paysandu 1X1 Remo – 22/09/1996 – Série B

Remo 2X1 Paysandu – 17/10/1999 – Série B

Paysandu 0X0 Remo – 13/09/2000 – Série B

Remo 3X2 Paysandu – 12/11/2000 – Série B

Paysandu 1X1 Remo – 19/11/2000 – Série B

Paysandu 3X1 Remo – 09/09/2001 – Série B

Remo 1X1 Paysandu – 28/10/2001 – Série B

Remo 0X2 Paysandu – 28/07/2006 – Série B

Paysandu 3X1 Remo – 31/10/2006 – Série B

TOTAL

Jogos: 26

Vitórias Remo: 8

Vitórias Paysandu: 7

Empates: 11

Gols Remo: 30

Gols Paysandu: 31

  • E MAIS: Quer comprar material esportivo mais barato? Clique Aqui

(Diego Beckman/DOL)