A era Hélio dos Anjos chegou ao fim no Paysandu nesta terça-feira (15) e com alguns capítulos marcantes na história do clube bicolor, que ficou sob o comando do profissional por 1 ano e quatro meses.
O ciclo do treinador teve bons e maus momentos a frente do time bicolor que sorriu e chorou com o treinador no comando bicolor, entre jogos especiais e o título paraense conquistado no inicio do mês.
– Licença e vitória: Depois de empatar na estreia contra o São José-RS, Hélio dos Anjos informou que na partida contra a Luverdense-MT não poderia estar comandando o time devido ao casamento do filho e auxiliar técnico, Guilherme dos Anjos. Leandro Niehues assumiu o time no jogo e na partida seguinte, pai e filho trabalharam na vitória sobre o Remo, pela Série C.
– Eliminação ao quadrado: No Paysandu, Hélio dos Anjos foi um trunfo para superar o maior rival e eliminou o Remo duas vezes. Primeiro na Série C com empate e pouco depois a vitória por 3 a 1 tirou os remistas das finais da Copa Verde.
– Perda do Acesso e revolta: Ao fim da partida contra o Náutico-PE, onde o Papão perdeu o acesso para a Série B, o treinador cuspiu fogo contra Leandro Pedro Vuaden e também ao coordenador de arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba.
– Eu Fico: Mesmo com o vice-campeonato da Copa Verde, o treinador garantiu sua permanência no clube bicolor após um grande trabalho feito em 2019, o que deixou a torcida em estado de graça.
– Prós e contras: Em fevereiro, Hélio comentou a liberação do goleiro Gabriel Leite que acabava de perder seu pai após o jogo contra o Brasiliense-DF, pela Copa do Brasil e acionou Paulo Ricardo no Re-Pa. O garoto deu conta e recebeu um abraço especial do treinador na vitória sobre o rival por 2 a 1.
– Enfim, é campeão: O Paysandu voltava a final do Paraense contra o Remo e melhor: venceu os dois jogos para ficar com o título paraense após três anos e a noite rendeu festas, agradecimentos e muita alegria de jogadores, comissão técnica e torcedores do Papão.

– Desabafo: A coletiva após a goleada sobre o Imperatriz-MA pela Série C , Hélio dos Anjos colocou uma série de acusações sobre os bastidores na Curuzu após a derrota para a Jacuipense-BA, entre elas, a escalação do atacante Nicolas que pediu para jogar. O assunto rendeu até a sua saída, no dia de hoje.


Em sua segunda passam pelo Paysandu, Hélio dos Anjos comandou o clube em 43 partidas com 19 vitórias, 18 empates e seis derrotas, com aproveitamento de 58% e o título de campeão paraense da temporada.

(DOL)