Para a torcida do Paysandu, 2019 foi um ano pra ser riscado da história do clube, que não ganhou nada no futebol, a não ser sofrimento, para o meia Tiago Luis, de 30 anos, a temporada foi ainda pior. Contratado a peso de ouro para ser a estrela maior da equipe na Série C do Brasileiro, o jogador não conseguiu dar o retorno que a diretoria e ele próprio esperavam. Dispensado pelo clube faltando um ano para o fim de seu vínculo, que iria até dezembro de 2020, o apoiador usou as redes sociais para dar um bye, bye à torcida do Papão, lamentando não ter conseguido reeditar a mesma boa campanha que fez em 2016.

Em seu adeus à Fiel, o jogador agradeceu à acolhida que recebeu dos bicolores, admitindo em sua postagem Instagram o fracasso do Papão na temporada. “Nos últimos dias encerrei minha segunda passagem pelo Paysandu. Infelizmente não atingimos os nossos objetivos, mas foi uma honra e satisfação enorme voltar a vestir essa camisa. Obrigado, Papão, diretoria, companheiros e toda a torcida por este período juntos” escreveu o meio-campista. Fora das redes sociais, Tiago Luis afirmou ter sido prejudicado por problemas extracampo, que acabaram influenciando em seu rendimento dentro das quatro linhas.


“Não gosto muito de falar da questão particular, mas há cinco meses que me separei e foi um momento muito difícil. Tem o lado da família, dos filhos e eu tenho dois filhos. Dá saudade, mas agora minha cabeça já está centrada no futebol. Sei que tenho de dar a volta por cima. Enfrentei uma barra, mas, felizmente, isso já passou”, revelou o meia. Mas a má fase do meio-campista vem desde bem antes do retorno ao Paysandu. “Já entrei frustrado no ano por não ter recebido muitas propostas”, disse o atleta, que acabou acertando, no primeiro semestre, com o São Bento-SP, que acabou caindo de divisão no Paulistão.

“Já comecei o ano mal, caindo para a segunda divisão”, recordou. Tiago Luis ressaltou, ainda, que as contusões que sofreu nessa sua volta à Curuzu também contribuíram para o fraco desempenho no Papão. “Acabei machucando, sofrendo uma lesão de grau dois no adutor e depois outra na panturrilha”, observa. O meia não titubeia ao apontar 2019 como o ano mais amargo vivido por ele no futebol. “O pior ano de minha carreira, sem dúvida, foi este ano. Se a gente pegar os números e comparar o que fiz antes em números com o que fiz este ano é realmente muito abaixo”, declarou.

O jogador, que chegou a ser, no início da carreira, apelidado de Lionel Messi brasileiro, chegando a interessar ao Real Madrid, da Espanha. “Isso já faz mais de 10 anos”, conta. “Foi um rótulo colocado pela própria imprensa”, recorda. Sobre o desejo do clube europeu em sua contratação, Tiago Luis afirmou jamais ter recebido qualquer proposta oficial da equipe. “A proposta oficial nunca chegou às mãos de empresário e nem mesmo do Santos-SP”, revelou o meia, cuja carreira foi iniciada no alvinegro praiano.