Na última movimentação do Clube do Remo antes do feriado do Natal não teve a presença da torcida, que só poderá ver o time em ação no próximo domingo (29), no amistoso contra o Castanhal, no estádio Maximino Porpino. Nessa data, os torcedores terão uma noção se os pedidos de Natal foram atendidos, com uma primeira impressão do Leão Azul para 2020, se ele pode engrenar e chegar a seus principais objetivos.

Quando perguntados sobre o que gostariam que o Natal trouxesse para o clube do coração, os torcedores azulinos são unânimes em dizer que esperam um time competitivo. O acesso era a grande esperança para 2019, mas o time morreu na praia na última rodada da primeira fase.

A base foi mantida e uma nova comissão foi contratada, junta com uma quantidade pequena de reforços pontuais. Não há garantia de que esse trabalho vai dar certo, ficando apenas no aspecto da esperança do torcedor. “O torcedor queria o principal objetivo este ano que era o acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro. Mas, infelizmente, não veio. Como somos torcedores, ano que vem a gente tenta novamente e estaremos juntos”, comenta o comerciante Alan Leão, que é colecionador de camisas e artefatos ligados ao Remo.

A busca pelo acesso e um time competitivo é uma constante, mas há também quem lembre que tudo tem que ser feito com responsabilidade, sem endividar o clube e deixar problemas futuros para próximas administrações. É o que ressalta a secretária Maria Pinheiro, torcedora azulina.


“Este ano conseguimos um avanço que foi não correr o risco de cair para a Série D. Mas precisamos montar um time competitivo em busca do acesso. Espero que o presente para a torcida seja um bom time e uma gestão comprometida com avanços no clube. Que os gestores tenham como principal objetivo melhorar o Clube do Remo”, diz.

Sobre esse assunto, o executivo de futebol remista, Carlos Kila, deixou claro na semana passada que o clube vem trabalhando dentro de um planejamento definido quanto aos gastos. “Temos um teto financeiro para o elenco e um limite para salários. Não vamos sair dessa linha, até para mantermos os salários sempre em dia. O que for acordado será cumprido”.

Os presentes imediatos para a torcida podem ser os próximos reforços: um goleiro, um lateral-direito, um meia e um atacante. Se depender de alguns torcedores, pelo menos uma dessas posições poderia ter um nome de peso, talvez até mais caro. “Eu traria um centroavante bom, goleador, mesmo que fosse um pouco mais caro para o clube. Se chegasse e resolvesse a torcida ajudaria a pagar”, afirma o autômato Charles Emanuel.

Técnico azulino gostou da organização do time, mesmo com pouco tempo de preparação

Jaques aprova primeira movimentação
Jaques aprova primeira movimentação Samara Miranda/Remo

Depois de duas semanas de treinamento, ontem o Clube do Remo entrou em campo para um jogo-treino contra a equipe sub-20 da Desportiva. As equipes empataram em 1 a 1 ontem à tarde, no CT do clube de Marituba. Robinho abriu o placar para o time da casa e Eduardo Ramos, de pênalti, empatou para o Leão Azul. No próximo domingo o time remista vai a Castanhal encarar o time da casa em um amistoso para valer. As duas equipes voltam a se enfrentar dia 4 de janeiro, às 15h30, no Baenão.

O técnico Rafael Jaques teve a oportunidade de colocar 24 jogadores em campo. O time começou o jogo treino com Vinicíus no gol; Cesinha, Fredson, Mimica e Ronaell na defesa; Pingo, Eduardo Ramos e Lukinha no meio de campo; Jackson, Thiago e Giovanni no ataque. Os demais jogadores que entraram em campo foram Thiago, Djalma, Rafael Jansen, Warley, Dudu Mandai, Xaves, Lailson, Robinho, Gustavo Ermel, Hélio, Hygor Félix, Wesley e Wallace.

O jogo foi a primeira movimentação do atual elenco e também a primeira oportunidade de Rafael Jaques comandar o Remo na beira do gramado. Para ele, um primeiro passo, uma prévia de testes mais fortes. “Foram formações aleatórias. Mesclamos os jogadores, em especial atletas mais jovens com os mais experientes. Procurei diversificar. Deu para perceber a questão da movimentação, nosso time teve boas situações de transição ofensiva”, disse. “Foi a primeira movimentação, algo muito breve. Mesmo com treinos quase só físicos, o time mostrou qualidade e organização. Mérito da equipe”, completou Jaques.

O teste mais forte será justamente contra o Japiim, onde um esboço de time titular deve aparecer. “Para o amistoso pretendo também utilizar a maioria possível de jogadores, mudando as formações para testar variações. Será um teste contra um futuro adversário e que também está em fase de preparação. Agora teremos dois dias de descanso, algo merecido. Quinta-feira todos de volta”, finalizou o treinador.