Assim como os jogadores e comissão técnica, os torcedores do Clube do Remo estavam confiantes para a partida de estreia do time no Campeonato Paraense. Não à toa, mais de 30 mil ingressos foram adquiridos para o duelo. Mas, aos poucos, foi perceptível que, a cada toque errado, a queda no otimismo.

Veja imagens da partida

Contudo, diferentemente de duelos passados, quando as vaias tomavam conta do estádio após o apito final de cada tempo, o Fenômeno adotou postura distinta, priorizando os aplausos.

Decretado o o encerramento da partida, o goleiro Vinícius, disse que a receptividade da torcida, sobretudo nesse momento, foi fundamental na busca da vitória.


“Sabemos que não fomos aquilo que queríamos. Mas conseguimos evoluir depois dos toques do professor Ney, com as mexidas. A paciência da torcida foi importante, demostrando estar junto de nós. Agradecemos a presença e o apoio”, comentou.

TUBARÃO

Enfrentando o seu antigo clube pela primeira vez, mesmo com todos os contratempos, o treinador do Bragantino, Artur Oliveira, se mostrou satisfeito com o desempenho da sua equipe, mesmo com a derrota. De acordo com o “Rei”, como ficou conhecido nos tempos de atleta, o adversário soube aproveitar os pontos chaves da partida.

Contando com apenas 13 jogadores disponíveis para o duelo, no entanto, somente 4 dos titulares da campanha do título da Segundinha do Estadual estiveram presentes em campo. Para Artur, em outra ocasião, o jogo teria encerrado de forma distinta. “Infelizmente não contamos com opções de banco. Diferentemente do Remo, que aproveitou o seu investimento e fez alterações. O gramado então… Mesmo assim jogamos de igual para igual e isso mostra que estamos firmes. Com todo nosso elenco, na próxima oportunidade acreditem que não será assim”, avisou o técnico do Tubarão.

FALA, TREINADOR! – AVALIAÇÃO DE NEY DA MATTA

– Para o técnico do Remo, Ney da Matta, o resultado foi perfeito para esse começo de temporada.

– “Sem dúvidas é muito gostoso começar com vitória. Não fizemos um primeiro tempo legal. E isso tem que levantar o merecimento do adversário, que teve classe até quando pode. Precisamos melhorar, é logico, mas isso nos garante força para não pararmos de tentar”, disse o treinador, feliz em estrear com vitória no Mangueirão lotado.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)