O futebol paraense é um prato cheio para novos talentos, craques que ganharam o país e até o mundo, porém também é cercado de tragédias, como uma que ocorreu há exatos 31 anos.

Nascido no Rio de Janeiro, mas com sucesso no futebol cearense e paraense, Luís Alberto Duarte dos Santos, conhecido como Luisinho das Arábias, era um atacante rápido e veloz, com facilidade em marcar gols e isso chamou atenção de clubes como Flamengo e Botafogo-RJ.

Mas o jogador ganhou destaque em 1983, ao ser campeão cearense pelo Fortaleza e marcar 33 gols em uma única edição, com direito a dois gols na decisão, contra o Ferroviário.


Luisinho jogou em 86 e 88 no Paysandu, onde fez parte de um timaço que tinha Nad, Edil, Patrulheiro e que conquistou títulos estaduais nos anos 80, mas em 89 acabou atravessando a Almirante Barroso e foi para o Remo.

No Leão, o faro de gol continuava apurado e anotou quatro gols na campanha do título paraense de 1989, porém na metade do primeiro turno, a notícia que abalou a todos: o jogador foi encontrado morto em um apartamento na capital paraense após sofrer uma parada cardíaca. O corpo foi encontrado após o jogador ficar sem aparecer no clube por dois dias.

A morte de Luisinho das Arábias chocou o esporte paraense, com parte do velório sendo realizado em Belém e após homenagens dos companheiros de time, o corpo do jogador foi transferido para Rio de Janeiro (RJ), onde foi sepultado.

31 anos depois, o atacante ainda é lembrado pelas duas torcidas pelo apurado faro de gol e manter o alto rendimento, tanto por Remo quanto por Paysandu.

(DOL)