Dois fatores definiram o goleiro Vinícius, do Clube do Remo, no Parazão deste ano: a personalidade em ocasiões adversas e a humildade nos momentos de bonança da equipe, como no caso do título azulino, no domingo passado, contra o Independente, no Mangueirão.

A conquista do Parazção é a sua segunda em três temporadas pelo Baenão e o arqueiro faz questão de dividir os louros, mesmo sendo apontado como o principal atleta da agremiação até pelo grupo do rival Paysandu. Assim se mostra Vinícius,dentro e fora de campo. Após a festa da comemoração, o atleta fez um balanço da campanha azulina no Estadual. Confira!

UNIÃO

“A gente não se abateu com os resultados que não estavam vindo. Nos fechamos e isso nos deu mais força para tentar mudar e buscar as vitórias. O grupo se uniu, passamos a jogar um pelo outro e crescemos no momento certo”.

SUPERAÇÃO


“Nossa campanha até aqui, com o título, foi assim, com muita raça, muita superação, muita força de vontade. Tivemos momentos complicados, mas graças a Deus fomos maiores. O Márcio (Fernandes – técnico) nos ajudou e essa torcida também. Esse título é um resultado de muito esforço, de um valor muito grande para o que queremos ainda fazer”.

BICAMPEONATO

“Sou muito realizado como profissional por esse outro título com o Remo. Isso marca a carreira de um atleta e em um clube como o Remo valoriza mais, gratifica mais. Não foi fácil na primeira vez e dessa também não. Estou tendo essa honra em um clube por qual possuo um enorme carinho”.

ÍDOLO

“A gente agradece pelo carinho. É continuar o trabalho, manter o esforço nos treinos, para que a gente continue levando mais alegria para essa torcida. Vamos trabalhar nessa semana para que agora a gente possa ter um bom desempenho na Série C, que é o que todos queremos”.

BRASILEIRO: Técnico sabe que o maior desejo agora é subir pra B

Sem empolgação. Essa é a ordem da comissão técnica azulina para que o grupo mantenha os pés no chão para a Série C, com a estreia marcada para o próximo sábado (27). O treinador Márcio Fernandes reiterou que a confiança é importante, mas que a cautela e a humildade também são fatores primordiais pós-título.

“A gente precisa comemorar, porque é uma coisa difícil. São times competentes que enfrentamos e chegamos ao final, vencedores. Mas é manter a cabeça no lugar, porque já temos compromisso próximo pelo Nacional. Vamos fortalecer o grupo e continuar lutando para que a próxima comemoração seja aquela que queremos, o acesso”, disse o técnico, ciente do maior desejo da torcida azulina, subir para a Série B.

CONHECIMENTO

Experiente na Terceirona, por onde foi campeão em 2015, com o Vila Nova-GO, Márcio comentou sobre o conhecimento que tem de alguns adversários. “Sabemos do potencial de equipes que vamos enfrentar. Não sabemos de todas, mas sabemos de algumas e isso nos ajuda a planejar o nosso time. Agora é, com calma, voltar aos trabalhos e nos preparar para mais uma batalha”, destacou.

(Diário do Pará)