Vasco analisa futuro do comando do futebol e pretende manter Jorginho

O presidente Eurico Miranda concederá entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira para falar sobre o rebaixamento à Série B e sobre o que deve ser feito no próximo ano. Várias correntes da diretoria pressionam por mudanças na diretoria de futebol, que hoje tem o vice de futebol José Luis Moreira e o gerente Paulo Angioni no comando,  mas há quem diga que o mesmo pode não acontecer. O mandatário, aliás, já teria combinado reuniões ao longo da semana com a dupla para traçar o planejamento do futebol no ano que vem.

 

Ao longo de toda a temporada, a condução do departamento de futebol gerou conflitos internos. Afinal, apesar de Zé Luis e Angioni estarem oficialmente à frente da pasta, o filho de Eurico, Euriquinho, foi quem comandou boa parte das negociações com jogadores. A relação dele com Angioni, porém, não é nada amistosa, e com Zé Luis é fria. Assim, o futebol ficou dividido até Euriquinho se afastar, depois do fechamento da janela de transferências.


 

Em São Januário, parte da diretoria e do Conselho são favoráveis à saída de Angioni, mas Zé Luis vê o dirigente como o homem de confiança no clube e, portanto, não ficaria satisfeito com uma possível demissão. E Eurico não se vê na posição de contrariá-lo, já que o vice de futebol é um antigo aliado político.

 

A semana será de muitas reuniões e planejamento para a disputa da Série B no ano que vem. É do interesse de todos a permanência do técnico Jorginho, um dos que saiu “ileso” do rebaixamento. A tendência, aliás, é que seja definido em breve. O comandante, porém, ainda prefere evitar falar sobre o tema.

 

– Não pensei sobre essa situação. Em nenhum momento teve conversa em relação a isso. A tristeza é tão grande que não dá nem para pensar. Temos que digerir bem isso e conversar com calma sobre tudo que está por vir – disse, ainda no Couto Pereira, após a confirmação do rebaixamento vascaíno.

 

O elenco também deve passar por uma grande reformulação, principalmente pelo fato de muitos jogadores do atual elenco terem o vínculo encerrado no fim do ano. São os casos de Charles (acaba em janeiro), Nei (acaba em janeiro), Aislan, Anderson Salles, João Carlos, Christianno, Bruno Teles, Felipe Seymour, Lucas, Serginho, Jean Patrick, Emanuel Biancucchi e Rafael Silva. A maioria não deve permanecer. Do time titular, o clube espera propostas pelo zagueiro Luan e não crava a permanência de Nenê, apesar de ter contrato até o fim de 2016.