Após uma boa estreia do técnico Léo Goiano, no comando do Clube do Remo, com um empate fora de casa contra o Fortaleza, fica agora a expectativa para ver se a equipe vai continuar a sua evolução. Hoje, às 21h, no Mangueirão, contra o Asa-Al, os azulinos terão a oportunidade de voltar ao G4 do Grupo A. Para isso, diante do Fantasma, é preciso vencer e, de preferência, com uma grande atuação.

 Ao longo da semana, Léo Goiano treinou bastante a equipe. O objetivo do comandante azulino foi fazer que com os jogadores do Leão absorvessem ainda mais a sua filosofia e estilo de jogo. Tanto é que, para o confronto de hoje à noite, o treinador deve manter a equipe, já que ele gostou da atuação contra o Tricolor de Aço. A única novidade deve ser mesmo a entrada de Igor João, no miolo de zaga, ao lado de Bruno Costa, já que Leandro Silva está suspenso por causa do terceiro cartão amarelo. No mais, a equipe deve ir com a mesma formação, tendo o endiabrado Pimentinha no ataque, fazendo dupla com Luiz Eduardo.

Pelo lado do Fantasma, a missão é vencer o Remo mais uma vez e sair da zona de rebaixamento. Para sair com os três pontos do Mangueirão, a equipe alagoana prega a tranquilidade. O Asa, mesmo no Z2, vem com um pensamento de evitar o desespero e respirar. Essa calmaria existe porque ainda faltam oito jogos para o fim do torneio e a distância para o G4 é de apenas três pontos. Com um dos artilheiros da competição com 5 gols, Leandro Kivel, o Asa quer manter o retrospecto invicto diante do Leão, com duas vitórias e um empate, em três jogos.

Grupo tem a obrigação de fazer o dever de casa


O Clube do Remo vem com um retrospecto de três jogos sem vencer. Além disso, o último jogo em casa os azulinos perderam por 1 a 0 para o Salgueiro-PE. Por isso, diante do torcedor, os remistas querem o apoio do Fenômeno Azul para conquistar uma vitória diante do Asa, que é uma das obrigações do time na noite de hoje.

De acordo com o treinador Léo Goiano, o Leão terá uma verdadeira pedreira dentro de casa. Mas ele acredita que com o apoio da torcida, o Remo poderá conquistar uma boa vitória e voltar ao G4. “Vai ser um jogo muito difícil. Vamos precisar muito do apoio do nosso torcedor, durante os 90 minutos, para fazermos um grande jogo”, ressalta. “Neste momento, passa pela nossa cabeça fazer um grande jogo e, além disso, buscar uma grande vitória”, completa Léo Goiano.

Uma das esperanças de boas jogadas do ataque remista é o atacante Pimentinha. O serelepe jogador foi um dos destaques contra o Fortaleza-CE e agora quer os três pontos em casa. Vitória esta que é importantíssima. “Acho que a palavra certa é obrigação. Acho que essa é a palavra correta. Estamos a dois pontos da zona de rebaixamento e dois do G4. Por isso, para a gente, vai ser fundamental esta vitória”, destaca o atacante do Remo.

Asa quer uma nova vitória contra azulinos

O time do Asa ocupa a nona colocação e está na zona de rebaixamento para a Série D. Um dos motivos é o grande número de empates. Até aqui, já foram cinco, somente atrás do Cuiabá, que tem sete. Para sair desta sequência de igualdades e voltar a vencer, os alagoanos prometem, mais uma vez, surpreender o Remo dentro de seus domínios.

Com o objetivo de levar estes três pontos na mala e sair do Z2, o técnico Marcelo Vilar já chegou em Belém com a equipe definida. A grande arma da equipe será o atacante Leandro Kivel, um dos goleadores do campeonato. “Na minha cabeça o time está definido. Nós pretendemos manter o padrão e procurar um melhor aproveitamento para que a equipe comece a vencer. Temos de jogar bem porque precisamos do resultado”, comenta o treinador do Fantasma.

E esse resultado, nada mais é do que a vitória diante do Remo. Para vencer o Leão dentro de seus domínios, o artilheiro Leandro Kível ressalta que foi montada uma estratégia. “Eu acredito que está faltando algum detalhe, tipo segurar o resultado quando nós saímos ganhando ou ainda fazer o dever de casa, que em alguns momentos nós estamos oscilando”, afirma o camisa 9. “Neste segundo turno, As equipes que estão em cima, vão procurar sair mais para o jogo, e isso vai acabar facilitando a nossa estratégia de jogar”, completa Kível.

(Café Pinheiro/Diário do Pará)