Depois de Fredson, Mimica e Rafael Jansen, Marcão poderá ser o próximo a ficar no clube.

Durante a noite da última segunda-feira (11), o Clube do Remo chegou à sua sétima renovação contratual ao anunciar a extensão de vínculo com o zagueiro Fredson. Ao lado do defensor, o goleiro Thiago, o ala-esquerdo Ronaell, o volante Djalma, o atacante Wesley e os companheiros de ofício Mimica e Rafael Jansen, fazem parte da leva de remanescentes desta temporada.

O número de zagueiros nesse primeiro momento, algo que confirma o prestígio da zaga com base na regularidade ao longo de 2019, deve aumentar. Isso porque Marcão, artilheiro azulino na Série C, chegou a um denominador comum com a agremiação.

O problema é que a continuidade do profissional no Baenão depende do aval de uma terceira parte, nesse caso o Marítimo de Portugal, clube que detém o seu passe. Marcão, que disputou 27 jogos e anotou três tentos, considera a sua melhor temporada e participação na carreira justamente no Leão, por isso o desejo de permanência. O presidente Fábio Bentes é quem assumiu as negociações para a manutenção do profissional, aceitando um pedido de aumento salarial do mesmo, pois entende que o jogador foi peça importante.


De acordo com uma fonte próxima da diretoria, o aditivo nos vencimentos foi encarado com naturalidade levando em consideração a valorização de determinados jogadores no mercado. Acontece que, no caso de Marcão, o empecilho se dá no pagamento integral dos salários do zagueiro. No contrato firmado neste ano, o Remo ficou responsável por 25% do pagamento, sendo o restante de responsabilidade do clube detentor. Entre o Remo e o atleta, um valor referente ao percentual foi acertado, restando assim, aguardar a decisão do time europeu.

Formação do elenco já tem um esboço

Até o momento, o elenco azulino conta com sete jogadores que acertaram a renovação contratual: goleiro Thiago, os zagueiros Rafael Jansen, Mimica e Fredson, o volante Djalma, o lateral Ronaell e o atacante Wesley. A lista cresce ao incluir o meia-atacante Lukinha, primeira e única contratação fora do círculo de remanescentes e dos já amparados por vínculo, como é o caso do meia Eduardo Ramos, do lateral-direito Cesinha e do goleiro Vinícius.

A diretoria trabalha ainda com quatro nomes para fechar em 15 o número de integrantes que atuaram neste ano com a camisa azulina. No radar, Marcão e Guilherme Garré são os que despontam, sendo que as negociações com o primeiro são as mais avançadas.

Com a expectativa da subida de 10 jogadores das categorias de base ao profissional, com a participação do volante Pingo e dos atacantes Laílson e Hélio, esses com passagem pela equipe principal em 2019, momentaneamente o plantel remista conta 21 jogadores, assim, seguindo a linha de raciocínio de até 10 contratações, visto que para o Paraense o elenco deve fechar em 28 profissionais, conforme estabelecido pelo executivo de futebol, Carlos Kila. “Esse é o número certo porque conseguimos controlar e dar espaço para que todos possam mostrar a sua qualidade”, adiantou.

A baixa fica por conta da rescisão do atacante Higor Félix, assinada no começo desta semana. O jogador tinha aditivo para atuar pelo Parazão, mas a pedido da diretoria não será mantido. Mesmo sendo destaque pela presença de área nos amistosos, Higor jogou uma única vez pelo Remo, no clássico Re-Pa da volta pela Copa Verde, o último jogo oficial do Leão.